sexta-feira, 9 de outubro de 2009

PODE O CRENTE FAZER ACUPUNTURA?



Recebi recentemente um e-mail pedindo esclarecimentos sobre a conduta do cristão no que diz respeito a prática de acupuntura. É claro que não sou especialista neste assunto, porém dediquei-me em buscar informações sobre o mesmo. Li opiniões contrárias e favoráveis. No texto de Rose Guglielminetti encontrei algo sensato.

Texto de Rose Guglielminetti, publicado na Revista Enfoque Gospel - Edição 83

Mesmo diante do progresso da medicina convencional no último século, como a descoberta da penicilina e o aprimoramento no transplante de órgãos, é notável perceber que os pacientes recorrem cada vez mais a outros procedimentos para tratamento de sua saúde. Dor de cabeça? Agulhas da acupuntura são um analgésico poderoso. Dores na região do pescoço? Shiatsu ou a quiropraxia são “técnicas milagrosas”. Chá de camomila é “tiro e queda” contra a tensão, e para alívio da rinite, o caminho mais indicado é a homeopatia.

A massagem no pé da reflexologia, a troca de energia do Reiki, o aroma de um óleo da aromaterapia e as gotinhas dos florais de Bach são apenas algumas das terapias alternativas que não apenas têm disputado espaço com o clássico estetoscópio, mas também têm conquistado, entre os novos adeptos, muitos crentes. E toda vez que os evangélicos se vêem encurralados por algo que pode contradizer sua fé, as dúvidas e as perguntas os angustiam. O sinal vermelho pode ser fruto do fato de que sempre que se fala de terapia alternativa, a primeira palavra que se sobressai é “esoterismo”.

Dentro das nomenclaturas, porém, quais teriam sinal verde para os cristãos? Se o recorte for feito pela aprovação do Ministério da Saúde, três escapariam do crivo dos mais temerosos: acupuntura, homeopatia e fitoterapia são não somente reconhecidas, como adotadas na rede pública de Saúde.

A acupuntura é comprovada cientificamente. As ervas também podem fazer bem e é inegável o princípio curativo de alguns chás e plantas. Até porque aproximadamente 45% dos remédios usados pela medicina convencional são feitos a partir de substâncias extraídas de vegetais. Já quando se consulta o Conselho Federal de Medicina, é necessário esclarecer que a maioria das terapias alternativas são práticas proibidas. Apenas a homeopatia e a acupuntura são reconhecidas como especialidades médicas.

Os brasileiros, por sua vez, parecem nem ligar para a polêmica sobre as técnicas. Estima-se que 4 milhões de pessoas lancem mão de alguma forma de terapia alternativa para tratar doenças. A classe médica diz que há mais massagistas corporais que prometem dar jeito naquela “dorzinha” de coluna do que ortopedistas. Guerras à parte, o crescimento da medicina alternativa se dá pela descrença dos pacientes em relação à medicina convencional, além dos efeitos colaterais dos medicamentos. Como ainda não há cura para doenças como câncer, diabetes e Aids, os alternativos entram nessa lacuna.

Outro item importante é quanto à relação médico-paciente. Geralmente, enquanto uma consulta do homeopata dura cerca de uma hora, a de um médico tradicional pode não chegar a 10 minutos. “Fazemos uma investigação completa porque queremos entender quais são os motivos de a pessoa estar ansiosa”, explica Gláucio Costa de Oliveira, médico homeopata e acupunturista.

Presidente da Associação Brasileira de Medicina Complementar (ABMC), o fisiologista Felippe Junior diz que a medicina complementar é usada quando a medicina convencional não consegue obter o sucesso desejado. “A essência de qualquer tipo de cura, seja qual for a técnica empregada – alternativa, complementar, convencional – depende das condições técnicas do profissional. Entretanto, se ele não utilizar a arte de curar, que envolve o organismo no seu todo (somato-psíquico-espiritual), a cura estará fadada ao fracasso. E tudo isto independe de religião ou credo”, defende.

DICAS DE COMO SELECIONAR E ENCONTRAR A TERAPIA CORRETA

• Nunca se submeta a um tratamento complementar ou alternativo sem antes saber o que a medicina convencional pode lhe oferecer.

• Informe-se sobre o tratamento (o que está envolvido, quanto tempo vai demorar, se possui efeitos colaterais e o que você pode esperar dele).

• Pergunte ao profissional se ele já tratou de casos semelhantes.
Não se esqueça de verificar a qualificação do profissional (onde ele se formou, em quais associações médicas está filiado etc.).

• Procure uma clínica de reputação ou que tenha profissionais diplomados e registrados nos devidos conselhos profissionais.

• Vá em busca de uma segunda ou terceira opinião.

• Leia e estude.

Fonte: Associação Brasileira de Medicina Complementar

Partidário da medicina complementar, Oliveira, no entanto, alerta para o perigo de a terapia alternativa mascarar doenças graves ou acelerar seu ritmo destruidor. “O ideal é que o paciente procure um médico, que saberá fazer um diagnóstico correto. Há sintomas que me fazem pensar em outras causas. Uma dor de cabeça pode ter mais de 50causas”, diz ele.

Apesar das inúmeras modalidades de terapias alternativas em todo o mundo, as mais populares no Brasil são as que envolvem massagem e plantas. A classe médica considera manipulações de vértebras como a quiropraxia e o shiatsu mais como técnicas de relaxamento do que como ciência. A reflexologia é incluída no mesmo conceito. A podóloga Rose Prudente é uma defensora contundente da massagem nos pés para a cura de doenças: “Há clientes que vêm com uma dor de cabeça intensa, eu faço a reflexologia e eles saem daqui aliviados e sem dor”.

Osmar Ludovico é pastor e não vê problemas em um crente adotar as técnicas reconhecidas cientificamente pelo Ministério da Saúde. “As críticas são resultado do desconhecimento e também do preconceito em relação a tudo o que é oriental”, alerta. Segundo ele, não dá para questionar aquela tradição familiar que adota o “escalda pés” ou o cataplasma, por exemplo, para curar doenças. “Não é contra a vontade de Deus. Infelizmente, tudo o que é alternativo está nas mãos de esotéricos. Mas isso está mudando. Hoje já temos muitos profissionais, como por exemplo, médicos crentes trabalhando com homeopatia. Há alguns anos isso era quase impossível”, avalia. “Os crentes demonizam algumas coisas por falta de conhecimento”, complementa.

MEDICINAS ALTERNATIVAS RECONHECIDAS PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE

ACUPUNTURA
Há cerca de 5.000 anos, os chineses afirmam que o corpo humano é atravessado por canais de energia chamados meridianos, sendo que cada ponto desse percurso se relaciona a um órgão. Por meio da colocação de agulhas finíssimas, bastões de moxabustão ou ventosas em pontos ao longo do corpo, se estimula o fluxo de energia. Em situações de dor, os estímulos desses pontos promovem a liberação de endorfinas e outros transmissores – substâncias que funcionam como analgésico. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a prática é eficaz para mais de 107 doenças e sintomas. Seu uso mais conhecido é no alívio de dores agudas e crônicas – de uma crise de enxaqueca à artrite. Tem cobertura dos planos de saúde.

HOMEOPATIA

O termo foi criado pelo médico alemão Samuel Hahnemann (1755-1843). O princípio é promover a cura provocando sintomas semelhantes aos da doença, e não pelo combate dos sintomas, como na alopatia. Isso é feito pelo uso de medicamentos que passam pelo processo de dinamização – sucessivas diluições do princípio ativo em álcool. Para a homeopatia, a doença se inicia na alma. O objetivo é fazer o organismo voltar a seu equilíbrio. Seu mecanismo de ação ainda é um mistério para a ciência. Vários médicos tradicionais admitem sua utilização em doenças crônicas, como alergias, e sobretudo nas de fundo emocional, como depressão. Trabalha com plantas, vegetais e minerais. Tem cobertura dos planos de saúde.

FITOTERAPIA

Tratamento à base de plantas. Prática comum na medicina indiana e na chinesa por meio de infusões, extratos, cápsulas, compressas etc. O princípio curativo de alguns chás e plantas é inegável, já que 45% dos remédios usados pela medicina convencional são feitos a partir de substâncias extraídas de vegetais. São indicados para tratar doenças como resfriados, dores de cabeça, cólica, insônia e problemas digestivos.


NÃO SÃO RECONHECIDAS PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE

FLORAIS

Prega o equilíbrio das emoções por meio da energia das flores. Os florais mais conhecidos levam o nome do médico inglês Edward Bach, criador do método. São usados para aplacar emoções pontuais, como o excesso de ansiedade ou uma crise de ciúmes.

AROMATERAPIA

O efeito estaria no uso de óleos essenciais de plantas e flores. Esfregados no corpo, eles ajudariam a tratar doenças como depressão e estresse.

IRIDOLOGIA

Fazem diagnóstico observando as marcas da íris. O Royal London Homeopathic Hospital, um dos mais conceituados da Inglaterra, publicou um estudo afirmando que a iridologia é uma técnica "totalmente sem valor".

QUIROPRAXIA

Destina-se ao diagnóstico, tratamento e prevenção de problemas do sistema neuro-esquélico. De acordo com a quiropraxia, dores no pescoço ou na região lombar surgem quando alguma das 24 vértebras da coluna sai do lugar e pinça o nervo. Segundo os médicos, funcionam em alguns casos relacionados à má postura e não resolve definitivamente nenhum problema. Porém, é a segunda maior especialidade na área de saúde nos Estados Unidos.

REIKI

É uma terapia de imposição das mãos na qual o terapeuta seria apenas "uma ponte" entre a energia do universo e a da outra pessoa. Para eles, a energia vital pode curar qualquer doença.

SHIATSU

Parecido com a acupuntura. Ao invés de agulhas, usa-se os dedos nos pontos de energia (o corpo é atravessado por canais de energia). "Shi" significa dedo, e "atsu", pressão. O massagista aperta o dedo polegar pelo corpo todo do paciente e consegue desfazer os nódulos, eliminando as toxinas cumuladas. Indicado para quem está estressado e com o corpo rígido pelas tensões.

O pastor Eduardo Rosa Pedreira disse que não hesitaria em recomendar que um membro de sua igreja adotasse um tratamento alternativo. “Não vejo nada demais adotar uma técnica que me ofereça bem-estar físico e emocional. Mas sempre lembrando que não devemos nos submeter a nada que não tenha base científica”.

A evangélica Ana Júlia Grassi teve o cuidado de se informar antes de adotar as técnicas orientais para cuidar de sua saúde. “Procurei um médico e fiz acupuntura, e também fiz shiatsu. Não me senti culpada e tampouco pecando”, diz ela. Porém, argumenta que quando foi apresentada ao Reiki – a pessoa impõe as mãos no local doente para “trocar a energia ruim pela boa” – a situação foi completamente diferente. “Percebi que não era bom. Então não cheguei nem a fazer. O que não podemos é botar tudo num balaio de gatos”, adverte. Outro evangélico que recorreu às agulhas foi Marlos Duarte. “Eu tinha uma enxaqueca muito forte e crises horríveis. Meu médico me indicou o tratamento e eu fiz. Estou curado”, garante. A dona de casa Maria Rosa Rodrigues não quis nem pensar em se submeter às terapias alternativas. E lamenta: “Eu não quis fazer (acupuntura) porque avalio que não é de Deus. Convivo com as dores de cabeça quase que diariamente”.

“A saúde e o bem-estar são talvez os fatores mais importantes da vida”, diz o presidente da ABMC, “e todos devem ter a oportunidade de acesso à moderna tecnologia da medicina convencional como também às informações das estratégias da medicina complementar.” O que se deve sempre ter, no caso do crente, é o bom senso e o discernimento do Espírito Santo para uma tomada de decisão.

Fonte: http://www.revistaenfoque.com.br/index.php?edicao=83&materia=1091

2 comentários:

  1. Parabéns pelo blog de qualidade e também pela diversidade de temas.

    www.alexmaltta.blogspot.com
    Evangelho da Graça

    ResponderExcluir
  2. Muito sensato as colocações desse texto sobre o tema. Estava numa palestra na empresa sobre TPM e a instrutora estava com algumas agulhas de acupuntura que ela mesma aplicava. Não resisti a curiosidade e quis experimentar. Ela prontamente pediu-me para fechar as mãos e aplicou uma das agulhas descartáveis na minha mão, entre o final do polegar e o final do dedo indicador. Realmente as agulhas tocam em pontos estratégicos do corpo e aliviam tensões, relaxando partes do corpo imediatamente. Muito interessante...

    ResponderExcluir