quinta-feira, 28 de maio de 2009

ENTRETENIMENTO VIOLENTO - O PERIGO DOS JOGOS DEMONÍACOS



Matéria publicada em 23/03/2009 no Jornal O Estado de São Paulo

Apesar de serem proibidos para menores de 18 anos, jogos violentos são muito populares entre fãs de games - seja na internet ou em consoles. A proibição, no lugar de inibir, muitas vezes incentiva e gera curiosidade em torno dos jogos. Na internet, é possível saber qual a classificação indicativa de jogos e quais são recomendados para cada idade em sites como o Entertainment Sowftware Rating Board e o Ask About Games (ambos em inglês). Confira a lista de jogos polêmicos e qual o objetivo em cada deles:

GTA (Grand Theft Auto) - Apesar de não ser recomendado para menores de 18 anos, é possível baixá-lo fazendo um pequeno cadastro na internet. Criado em 1997, o jogo inovou ao permitir que o jogador fizesse o que bem entendesse. O objetivo é cumprir missões, misturando elementos de ação, estratégia, aventura e corrida. Existe em várias versões, divididas em quatro "eras".



O elemento mais inusitado do jogo era o roubo de carros. Qualquer veículo da cidade podia ser arrombado e dirigido. A consequência: além de alertar a polícia, as ações do jogador podiam atrair a atenção de outros bandidos, criando situações de conflito e caos nunca vistas até então.

O jogador decide o rumo da história de acordo com sua vontade. Cada escolha tem uma consequência. Não existem pontos por mortes ou atropelamentos. Na verdade, existe dinheiro, como na vida real, e coisas a serem feitas para ganhá-lo. Como você as faz depende inteiramente da sua cabeça.

Você opta, por exemplo, em matar ou não um chefão do crime. Se o matar, acaba ganhando respeito nas ruas, enriquece e se muda para um casarão com mulheres, armas e coisas caras. Mas tem sempre alguém querendo cortar seu pescoço e a polícia não o deixa em paz.

Resident Evil - Polêmica série de horror em que um vírus transforma as pessoas em zumbis, criaturas semivivas devoradoras de carne. Animais, mulheres e crianças sofrem hediondas mutações e precisam ser abatidos a tiros e até a facadas.



Carmageddon - o objetivo do jogo é atropelar o maior número de pedestres. Na Inglaterra, foi proibido em 1997 pelo Conselho Britânico de Classificação Cinematográfica.



Manhunt - nele, o jogador sai de um manicômio e precisa matar os responsáveis por sua internação. Dá mais pontos aos jogadores que infligirem a morte mais terrível às vítimas.



Duke Nukem 3D - a sociedade foi transformada. Policiais viraram porcos selvagens humanoides e alienígenas dominaram o planeta. Duke, um cafajeste que gosta de bebida, jogos e strippers, sai matando os inimigos da humanidade e, de quebra, paquerando mulheres bonitas.



Doom - O jogador enfrenta a bala uma invasão de demônios sanguinários que invadiram nossa dimensão



Bully - Um jovem de família problemática tenta sobreviver a uma estadia em um colégio interno, driblando os mais fortes e usando a inteligência (ou os punhos) para se dar bem. A polêmica ficou por conta dos beijos que se pode dar em meninos e meninas.



Counter-Strike - forma-se um esquadrão de terroristas ou contra-terroristas e o jogador precisa usar tática militar para vencer os oponentes.



Postal - Politicamente incorreto, o jogo explora os maiores tabus sociais americanos. Minorias raciais, sexuais e até animais sofrem na mão do protagonista. Em uma passagem particularmente horrenda, um gato é usado como silenciador de um arma.



7 sins - jogo de pornografia leve. No fundo, é apenas um jogo tolo que apela ao sexo para vender.



Hitman - um assassino profissional trilha um caminho sem volta, banhando em sangue, algumas vezes inocente.


terça-feira, 26 de maio de 2009

FRASES MARCANTES DE CHARLES HADDON SPURGEON - PARTE 3/3




“A vocação do orador de praça pública é tão honrosa quanto árdua quanto útil quanto trabalhosa. Somente Deus pode sustentá-lo nela, mas com Ele ao seu lado não terá nada a temer. Se dez mil rebeldes se pusessem diante de você, e uma legião de demônios, você não precisaria tremer. Aquele que está por você á mais do que todos os que estão contra. Amém!”

“Para serem pregadores eficazes devem ser teólogos autênticos”.

"Que eu seja sepultado em algum lugar silencioso, onde as folhas caem e os pássaros brincam e onde as gotas de orvalho brilham nos raios de sol; e se acaso tenha que ser escrito algo sobre mim, que seja o seguinte: Aqui jaz o corpo de um “João Ninguém”, esperando pelo surgimento de seu Senhor e Salvador, Jesus Cristo”.

“Uma inércia espiritual é a nossa inimiga; uma tempestade talvez seja nossa amiga. A controvérsia talvez provoque pensamento, e por meio dele talvez venha a mudança espiritual necessária.”

“A adversidade santificada aviva nossa sensibilidade espiritual”.

“Um argumento vivo é invencível”.

“O divino abençoa o ser humano para que este possa bendizê-lo”.

“Cuide bem da sua integridade, e Deus cuidará da sua prosperidade”.

“Batize seu coração em devoção antes de avançar a correnteza dos afazeres diários”.

“O amor é o uniforme de Cristo”.

“Quando a Palavra de Deus converte um homem, tira dele o desespero, mas não a capacidade de arrepender-se”.

“Pecado e inferno estão casados, a não ser que o arrependimento anuncie o divórcio”.

“Preparem-se, meus jovens amigos, para se tornarem cada vez mais fracos; preparem-se para mergulhar a níveis cada vez mais baixos de auto-estima; preparem-se para a auto-aniquilação - e orem para que Deus apresse este processo”.

“Os pecados secretos, à semelhança de conspiradores secretos, precisam ser expulsos”.

“O homem que não valoriza o auto-exame pode estar bem certo de que as coisas precisam ser examinadas”.

“Minha esperança de ser preservado até o fim se baseia no fato de que Jesus Cristo pagou caro demais por mim para deixar-me escapar. Cada crente custa-lhe o sangue do seu coração. Vá ao Getsemani e ouça seus gemidos: depois, aproxime-se e observe o suor de gotas de sangue, e diga-me, ele perderá uma alma em favor de quem sofreu assim? Contemple-o pendurado na cruz, torturado, zombado, carregado com um terrível fardo e então escondido da face de seu Pai pelo eclipse; você acha que ele sofreu tudo aquilo e ainda assim permitir que aqueles em favor de quem suportou isso sejam jogados no inferno? Ele será um perdedor maior que eu se eu viesse a perecer, pois ele perderá o que lhe custou a sua própria vida. Aqui está a sua segurança - você é a porção do Senhor, e sua herança não lhe será roubada”.

“Novamente, afirmo que desconheço qualquer outra coisa que nos possa humilhar tão profundamente quanto a doutrina bíblica da eleição. Algumas vezes tenho-me deixado cair no chão e tenho ficado prostrado, diante dessa verdade, quando procuro compreendê-la até às suas raízes. Nessas ocasiões, tenho distendido as minhas asas, e, à semelhança de uma águia, tenho alçado vôo na direção do sol. E assim o meu olhar se tem fixado no alvo, e as minhas asas não me têm decepcionado, pelo menos durante algum tempo. Entretanto, quando já fui me avizinhando daquele alvo, e quando aquele pensamento tomou conta de minha mente - “Deus vos escolheu desde o princípio para a salvação” - então senti-me ofuscado diante do seu resplendor, fiquei pasmo diante da grandiosidade desse pensamento; e, desde aquelas alturas imensas, desci a minha alma estonteada, prostrada e quebrantada, dizendo: Senhor, eu nada represento. Eu sou menos do que nada. Por que eu? Por que eu?”.

domingo, 24 de maio de 2009

EVANGELHO ESQUISITO - POR QUE DEUS PRECISA DERRUBAR PESSOAS?



O texto abaixo está publicado em http://www.lideranca.org/cgi-bin/index.cgi?action=forum&board=teologia&op=display&num=3258.

Sobre Benny Hinn:

1) Ele declarou que Jesus “... assumiu a natureza de Satanás, para que todos quantos tinham a natureza de Satanás pudessem participar da natureza de Deus”. Esta declaração blasfema é citada no excelente trabalho crítico de Hank Hanegraaff, Cristianismo em Crise, editado pela CPAD (p.166).
2) Afirmou que o Espírito Santo lhe revelou que as mulheres foram originalmente criadas para dar à luz pelo lado. Todavia, por causa do pecado, passaram a dar à luz pela parte mais baixa de seu corpo (idem, p.373).
3) Ensina que o homem é um pequeno deus. E afirmou: “Eu sou ‘um pequeno messias’ caminhando sobre a Terra” (idem, p.119).
4) Asseverou que o homem, em princípio, voava da mesma forma que os pássaros. Segundo ele, Adão podia voar até à lua pela sua própria vontade: “Adão era um superser (...) costumava voar. Naturalmente, como poderia ter domínio sobre as aves, sem ser capaz de fazer o que elas fazem?” (idem, p.128).
5) Hinn costuma visitar os túmulos de duas santas mulheres, Kathry Kuhlman e Aimee S. McPherson, para receber a “unção” que flui de seus ossos (idem, p.373).
6) Em seu livro Good Morning, Holy Spirit (p.56), Hinn afirma que, em uma de suas supostas conversas com o Espírito Santo, o Consolador teria implorado para que ele ficasse em sua presença: “Hinn, por favor, mais cinco minutos; apenas mais cinco minutos”.
7) Ele ensina que a Trindade é composta de nove pessoas, pois o Pai, o Filho e o Espírito Santo possuem, cada um, espírito, alma e corpo (citado em Cristianismo em Crise, p.375).
8) Ao ser criticado, disse que gostaria de ter “uma arma do Espírito” para explodir a cabeça de seus críticos. Além disso, profere palavras funestas contra aqueles que refutam suas heresias. As ameaças abaixo, extraídas do livro supracitado (p.376), foram dirigidas ao Instituto Cristão de Pesquisas dos EUA:

“Agora eu estou apontando meu dedo para vocês com o tremendo poder de Deus sobre mim... Ouçam isto! Existem homens e mulheres no sul da Califórnia me atacando. É sob a unção que lhes falo agora. Vocês colherão o que estão semeando em suas próprias crianças se não pararem... E seus filhos e filhas sofrerão” (...)
“Vocês estão me atacando no rádio todas as noites — vocês pagarão e suas crianças também. Ouçam isto dos lábios dum servo de Deus. Vocês estão em perigo. Arrependam-se! Ou o Deus Altíssimo moverá a sua mão. Não toqueis nos meus ungidos...”

9) Hinn concordou em tirar alguns erros do livro Good Morning, Holy Spirit (Bom Dia, Espírito Santo), depois de uma conversa com Hank Hanegraaff (presidente do ICP dos EUA), em 1990. No ano seguinte, admitiu seus erros e prometeu fazer alterações em seus escritos. Entretanto, depois de algumas semanas, retornou às suas velhas práticas (idem, p.375).
10) Defendendo a teologia da prosperidade, pela qual afirma que a pobreza é uma maldição, disse que Jó era carnal e mau (idem, p.103), ignorando o enfático testemunho de Deus acerca de seu servo: “Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero e reto, temente a Deus, e desviando-se do mal” (Jó 1.8).
11) Defensor também da falaciosa confissão positiva, declarou: “Nunca, jamais, em tempo algum, vão ao Senhor e digam: ‘Se for da tua vontade...’ Não permitam que essas palavras destruidoras da fé saiam da boca de vocês”. (idem, p.295). Hinn ignora o fato de o próprio Cristo ter ensinado e empregado tal forma de oração (Mt 6.10; 26.39).

Diante do exposto, é Benny Hinn um profeta de Deus? Antes de responder a essa pergunta, leia atentamente Mateus 7.15-23. Bem, agora é com você: reflita e responda, com toda sinceridade e imparcialidade, à pergunta em apreço.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

FRASES MARCANTES DE CHARLES HADDON SPURGEON - PARTE 2/3



Isaías diz: “Todas as nossas justiças, como trapo da imundícia”. Esta afirmação fez Charles Spurgeon comentar: “Irmãos, se nossas justiças são tão ruins assim, imaginem nossas injustiças!”

“Antes de vir à fé, éramos mantidos sob a lei, retidos dentro da fé que depois se revelaria. Por essa causa a lei era nosso aio para conduzir-nos a Cristo, a fim de sermos justificados pela fé. Digo-vos que, ponho de parte a lei, despojastes o evangelho de seu auxiliar mais competente. Tiraste dele o aio que leva os homens a Cristo. Eles nunca aceitarão a Graça sem que tremam perante uma lei justa e santa. Por conseguinte, a lei serve ao mais necessário e bendito propósito, e não deve ser removida do lugar que ocupa”.

“Uma criança de cinco anos, se ensinada adequadamente, pode crer para a salvação tanto quanto um adulto. Estou convencido de
que os convertidos de nossa igreja que se decidiram quando crianças são os melhores crentes. Julgo que são mais numerosos e genuínos do que qualquer outro grupo, são mais constantes, e, ao longo da vida, os mais firmes”.

Foi C H Spurgeon que disse ao seu filho: “Meu filho, se Deus te chamou para ser missionário, eu ficaria triste ao ver-te ser reduzido a um rei.”

“O fato é que muitos gostariam de unir igreja e palco, baralho e oração, danças e ordenanças. Se nos encontramos incapazes de frear essa enxurrada, podemos, ao menos, prevenir os homens quanto à sua existência e suplicar que fujam dela. Quando a antiga fé desaparece e o entusiasmo pelo evangelho é extinto, não é surpresa que as pessoas busquem outras coisas que lhes tragam satisfação. Na falta de pão, se alimentam com cinzas; rejeitando o caminho do Senhor, seguem avidamente pelo caminho da tolice”.

“Creio que a penitência cheia de pesar ainda existe, apesar de ultimamente não haver ouvido muito dela. Nos nossos dias as pessoas parecem se precipitar rapidamente na fé...Espero que meu velho amigo arrependimento não tenha morrido. Estou desesperadamente enamorado do arrependimento; ele parece ser o irmão gêmeo da fé”.

“Não entendo muito acerca da fé a olho seco; sei que fui a Cristo pelo caminho da cruz de prantos...Quando fui ao Calvário pela fé, fui com muito choro e súplicas, confessando minhas transgressões e desejando encontrar salvação em Jesus, e em Jesus somente.”

“Livremente confesso que hoje sinto um pesar mais profundo pelo pecado do que quando aceitei o Salvador há trinta anos atrás. Odeio, hoje, o pecado mais intensamente do que quando estava sob condenação. Há certas coisas que eu não sabia que era pecado, e agora eu sei que são. Atualmente tenho um sentido mais aguçado da vileza do meu próprio coração do que quando fui a Cristo no começo...”.

“O pesar pelo pecado é uma chuva perpétua, um banho doce e agradável, que dura toda a vida de um homem verdadeiramente salvo...Ele está sempre pesaroso por haver pecado... não deixa de sentir-se pesaroso até que todo o pecado tenha se ido.” “Não dês o coração a todas as palavras ditas – não as leve ao coração ou não lhes dê importância, não atentes para elas, nem procedas como se as tivesse ouvido. Você não pode deter a língua das pessoas; portanto, a melhor coisa é deter os seus próprios ouvidos, e não ligar para o que digam”.

“Cristo é o grande fato central na história do mundo. Tudo olha para frente ou para trás a partir dEle. Todas as linhas da história convergem para Ele. Todos os grandes propósitos de Deus culminam nEle. O maior e mais momentoso fato que a história do mundo registra é o fato de seu nascimento”.

“Meu testemunho é, e penso estar falando por muitos do povo de Deus aqui presentes, que por vir, como alguns de nós fazemos, semanalmente, à Mesa do Senhor, não achamos que com isso o partir do pão tenha perdido seu significado é sempre renovado para nós. Freqüentemente tenho ressaltado nos domingos à noite, qualquer que seja o assunto da pregação, quer o Sinai tenha trovejado sobre nossas cabeças, ou as notas lamentosas do Calvário tenham rasgado nossos corações, sempre parece apropriado comparecer à Ceia do Senhor. É uma vergonha para a igreja cristã ter permitido que a Ceia passasse a ser observada uma vez por mês, manchando assim o primeiro dia da semana por privá-lo de sua glória em reunirmo-nos juntos para comunhão e partir do pão, demonstrando a morte do Senhor até que Ele venha. Aqueles que conhecem a doçura de se celebrar a Sua Ceia a cada Dia do Senhor nunca se contentarão, tenho certeza, em aceitar sua observação em períodos menos freqüentes.”

“Nas ruas de Nínive, Jonas foi ouvido por multidões que jamais teriam sabido da sua existência, se ele tivesse alugado um salão. João Batista, junto ao Jordão, despertou um interesse que nunca teria surgido, se ele tivesse restringido à sinagoga. E aqueles que foram de cidade em cidade proclamando por toda parte a Palavra do Senhor Jesus, nunca teriam transtornado o mundo se tivessem achado necessário limitar-se a igrejas adornadas com o aviso ortodoxo:
O evangelho de graça de Deus será pregado aqui, no próximo domingo à noite, se Deus quiser”.

terça-feira, 19 de maio de 2009

CAMPANHA PISA NO TAPETE DE FOGO - POR QUE A IGREJA ESTÁ TOMANDO ESTE CAMINHO?



Para quem não me conhece, permita-me desde já esclarecer que sou pentecostal. Não só acredito na manifestação do Espírito Santo como posso experimentar de forma real o agir do mesmo em minha vida.
O vídeo acima me preocupa no entanto. Por que a igreja está tomando este caminho? Qual o objetivo do fenômeno do "reteté"? Por que a voz frenética dos "pseudos-avivalistas" está sufocando a voz dos ensinadores da palavra? Por que os que ensinam são considerados frios e ausentes do Espírito Santo? Por que existe euforia quando alguém é curado ou batizado com o Espírito Santo, e não há nenhuma manifestação de alegria quando um pecador se arrepende dos pecados no apelo do culto?
Já tive a sensação de tentarem me expulsar de alguns cultos por parecer que a minha presença estava "impedindo" a unção de Deus.
Pra ser mais objetivo, após ministrar em uma igreja, no término do culto o pastor pediu desculpas à igreja por ter sido aquele culto um "culto de ensino" e não um culto "avivalístico" como os irmãos estavam habituados à participar.
Se este é o modelo de igreja que estão tentando "empurrar", desde já informo, encontraram alguém que não vai se render ao mesmo.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

FRASES MARCANTES DE CHARLES HADDON SPURGEON - PARTE 1/3



Charles Haddon Spurgeon, comumente referido como C. H. Spurgeon (19 de junho de 1834 — 31 de janeiro de 1892), foi um pregador batista britânico, nascido em Kelvedon, Essex.

Converteu-se ao cristianismo em janeiro de 1850, aos quinze anos de idade. Aos dezesseis, em 1851, pregou seu primeiro sermão; no ano seguinte tornou-se pastor de uma igreja batista em Waterbeach, Cambridgeshire. Em 1854 Spurgeon, então com vinte anos, foi chamado para ser pastor na capela de New Park Street, Londres, que mais tarde viria a chamar-se Tabernáculo Metropolitano, transferindo-se para novo prédio.

Desde o início do ministério, seu talento para a exposição dos textos bíblicos foi considerado extraordinário. E sua excelência na pregação nas santas escrituras bíblicas lhe deram o título de o Príncipe dos Pregadores.

FRASES DE C.H.SPURGEON COMPILADAS POR FELIPE SABINO, PUBLICADAS EM HTTP://WWW.SCRIBD.COM/DOC/2403107/FRASES-DE-SPURGEON

“Que seu molho de lã fique na eira da súplica até que seja molhado com orvalho do céu”.

“A oração em si mesma é uma arte que somente o Espírito Santo pode nos ensinar. Ele é o doador de todas as orações. Rogue pela oração - ore até que consiga orar, ore para ser ajudado a orar e não abandone a oração porque não consegue orar, pois nos momentos em que você acha que não poder, é que realmente está fazendo as melhores orações. Às vezes quando você não sente nenhum tipo de conforto em tuas súplicas e teu coração está quebrantado e abatido, é que realmente está lutando e prevalecendo com o Altíssimo.

“Sussurros que não podem ser expressos em palavras são freqüentemente orações que não podem ser recusadas”.

“Há pecado até na nossa santidade, há incredulidade na nossa fé; há ódio no nosso próprio amor; há lama da serpente na mais bela flor do nosso jardim.”

“Todo cristão ou é um missionário ou é um impostor.”

“A convicção de ignorância é a porta de entrada do templo da sabedoria.”

“A lei do Senhor é o pão de cada dia do verdadeiro crente”.

“A igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade”.

“Aprenda a dizer não. Será melhor para você do que aprender latim”.

“A nova Jerusalém deve, do mesmo modo, ser rodeada e protegida por um largo muro de não-conformismo para com o mundo, e de separação dos seus costumes e espírito”.

“O diabo raramente criou algo mais perspicaz do que sugerir à igreja que sua missão consiste em prover entretenimento para as pessoas, tendo em vista ganhá-las para Cristo”.

“Hoje em dia ouvimos alguém extrair do seu contexto uma frase isolada na Bíblia e clamar: “Eureka!”, como se tivesse descoberto uma nova verdade; no entanto, não achou um diamante, mas um pedaço de vidro quebrado”.

“Aqueles que mergulham no mar das aflições trazem pérolas raras para cima”.

“Quando os membros de nossas igrejas demonstrarem o fruto de verdadeira piedade, imediatamente encontraremos pessoas perguntando qual a árvore que produz esse fruto”.

“A auto-salvação, ou pelo valor pessoal, ou pelo arrependimento, ou por resolução própria, é a esperança inerente da natureza humana, e é muito difícil de ser extirpada”.

“Nada deveria ser o alvo do pregador a não ser a glória de Deus através da pregação do evangelho da salvação”.

“Vocês e eu, somos constrangidos a pregar o evangelho, mesmo que nenhuma alma jamais seja convertida por ele; pois o grande propósito do evangelho é a glória de Deus, visto que Deus é glorificado mesmo naqueles que rejeitam o evangelho”.

“Preguem o evangelho tendo em vista unicamente a glória de Deus, ou então, segurem suas línguas.”

“A Bíblia fala no tom de voz do próprio Deus”.

“A Bíblia, toda a Bíblia e nada mais do que a Bíblia, é a religião da igreja de Cristo”.

“Deus escreve com uma pena que nunca borra, fala com uma língua que nunca erra, age com uma mão que nunca falha”.

“Se quando eu chegar ao céu o Senhor me disser: “Spurgeon, quero que você pregue por toda a eternidade”, responderei: “Senhor, dá-me uma Bíblia - é tudo de que preciso”.

“Muitos livros em minha biblioteca estão agora desatualizados. Foram bons enquanto eram novos, à semelhança das roupas que usei quando tinha dez anos de idade; mas eu cresci e as deixei para trás. Ninguém jamais deixa para trás as Escrituras por ter crescido; esse livro se amplia e é mais conhecido à medida que passam nossos anos”.

“Não creia em metade do que você ouve; não repita metade do que crê; quando ouvir uma notícia negativa, divida-a por dois, depois por quatro, e não diga nada acerca do restante dela”.

“Se um ladrão entrasse no céu sem ser transformado, começaria batendo as carteiras dos anjos”.

“Em quarenta anos nunca passei quinze minutos acordado sem pensar em Jesus”.

“Se formos fracos em nossa comunhão com Deus, seremos fracos em tudo”.

“Muitos homens têm consciência suficiente para temer o pecado, mas não suficiente para salvá-los dele”.

“A verdadeira conversão dá segurança à pessoa, mas não lhe confere o direito de parar de vigiar”.

“A verdadeira conversão dá força e santidade ao homem, mas nunca lhe permite vangloriar-se”.

“Quando a Palavra de Deus converte um homem, tira dele seu desespero, mas não seu arrependimento”.

“Para um homem que vive para Deus nada é secular, tudo é sagrado”.

“Muitos homens ficam de mãos vazias porque não conhecem a arte de repartir”.

“Ai de nós! Nosso coração é nosso maior inimigo”.

“Deus deixa depressa sua ira, mas nunca se arrepende do seu amor”.

“Não há mudanças no amor de Jeová, embora possa haver mudanças na maneira em que ele é manifestado”.

“Não há nada pequeno em Deus”.

“A glória da Onipotência é atuar mediante improbabilidades”.

“Se você vai ou não viver até chegar em casa hoje, depende absolutamente da vontade de Deus”.

“Os homens, para serem verdadeiramente ganhos, precisam ser ganhos pela verdade”.

“A espada da justiça não nos ameaça mais, mas a vara da correção paternal ainda está em uso”.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

DIRETRIZES DO CURSO DE TEOLOGIA NO BRASIL



Paulo Monteiro Vieira Braga Barone, presidente da Câmara de Educação Superior



Mario Portugal Pederneiras , vice-presidente da Câmara de Educação Superior

A Câmara de Educação Superior do Ministério da Educação, publicou em 06/05/2009 as diretrizes para autorização e reconhecimento dos cursos de teologia no Brasil.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Superior
UF: DF
ASSUNTO: Orientações para instrução dos processos referentes ao credenciamento de novas Instituições de Educação Superior e de credenciamento institucional que apresentem cursos de Teologia, bacharelado.
COMISSÃO: Marília Ancona-Lopez (relatora), Aldo Vannuchi presidente), Antonio de Araújo Freitas Júnior e Edson de Oliveira Nunes (membros).
PROCESSO Nº: 23001.000132/2008-92
PARECER CNE/CES Nº:118/2009
COLEGIADO:CES
APROVADO EM:6/5/2009

I – RELATÓRIO

As teologias são sistemas de símbolos, pressupostos, valores e temas historicamente presentes nas sociedades humanas que se imbricam na cultura, na história, na subjetividade e no comportamento humano, tornando-se referência de modos específicos de significar o mundo e a vida. Elas agregam identidades e instituições e determinam grande parte de suas ações. Fazem parte da realidade social e individual, como produtos culturais passíveis de estudo, aos modos de qualquer outro fenômeno humano. O estudo das teologias ao longo do tempo, em seus aspectos contextuais, possibilita a compreensão da história da humanidade e de nosso País, suas tradições e heranças culturais, assim como os fenômenos sociais e religiosos da atualidade.
Uma revisão dos pareceres do CNE que tratam dos cursos de Teologia aponta para duas direções: afirmação do caráter leigo do Estado e liberdade das IES quanto à sua definição religiosa.
O Parecer CNE/CP nº 241/1999, reafirmado pelo Parecer CNE/CES nº 63/2004, coloca que:

Em termos de autonomia acadêmica que a Constituição assegura, não pode o Estado impedir ou cercear a criação destes cursos (de Teologia). Por outro lado, devemos reconhecer que, em não se tratando de uma profissão regulamentada, não há de fato, nenhuma necessidade de estabelecer diretrizes curriculares que uniformizem o ensino desta área de conhecimento. Pode o Estado, portanto, evitando a regulamentação do conteúdo do ensino, respeitar, plenamente, os princípios de liberdade religiosa e da separação entre Igreja e Estado, permitindo a diversidade de orientações.
(...)
Tendo em vista estas considerações, votamos no sentido de que:
a) os cursos de bacharelado em Teologia sejam de composição curricular livre, a critério de cada instituição, podendo obedecer a diferentes tradições religiosas;
b) ressalvada a autonomia das Universidades e dos Centros Universitários para a criação de cursos, os processos de autorização e reconhecimento obedeçam a critérios que considerem exclusivamente, os requisitos formais relativos ao número de horas-aula ministradas, à qualificação do corpo docente e às condições de infra-estrutura oferecidas.

Conforme esse Parecer, a CES passou a pautar-se pela análise apenas das condições formais dos cursos de Teologia, sem considerar as suas matrizes curriculares, seguindo o expresso no Parecer CNE/CES n° 429/2005:


Aplicam-se aos cursos superiores de Teologia todas as demais exigências contidas nas regras gerais estabelecidas para os demais cursos de graduação, quais sejam: conclusão do Ensino Médio, processo seletivo próprio, solicitar o reconhecimento do curso após cumprimento de 50% de sua carga horária, qualificação do corpo docente, instalações...


A exclusão da análise da matriz curricular, deixando às instituições plena liberdade na composição de seus currículos, no entanto, terminou por gerar a aprovação de cursos de Teologia com caráter, exclusivamente, confessional. Alguns desses cursos não apresentam características acadêmicas, não respeitam o pluralismo da área nem a universalidade de conhecimento própria do ensino superior. Restringem-se a uma única visão teológica e se caracterizam como cursos catequéticos a serviço de uma confissão religiosa e terminam por ferir o princípio constitucional da separação entre Igreja e Estado, pois preparam o aluno para atuar em uma única religião, papel que não cabe ao Estado nem a instituições de ensino superior por ele credenciadas. Por essa razão, o Parecer CNE/CES n° 101/2008 levanta dúvidas sobre a pertinência de o CNE credenciar uma faculdade a partir de um curso de Teologia. Tais discussões resultaram na constituição de Comissão, instituída pela Portaria CNE/CES nº 3/2008, com o objetivo de apresentar orientações que auxiliem na elaboração desse tipo de parecer.
Como graduação, os cursos de Teologia, bacharelado, devem obedecer ao Parecer CNE/CES nº 776/97, que afirma a necessidade de incentivar uma sólida formação geral necessária para que o futuro graduado possa vir a superar os desafios de renovadas condições de produção do conhecimento.
Vale lembrar que o Art. 43 da LDB, ao tratar das finalidades da educação superior, em especial em seus incisos I, III e VI, estabelece o dever de:


I – estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo.
(...)
III – incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica, visando o desenvolvimento da ciência e da tecnologia e da criação e difusão da cultura, e, desse modo, desenvolver o entendimento do homem e do meio em que vive.
(...)
VI – estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, em particular os nacionais e regionais (...).


É importante, portanto, que os cursos de graduação em Teologia, bacharelado, no País garantam o acesso à diversidade e à complexidade das teologias nas diferentes culturas e permitam analisá-las à luz dos diferentes momentos históricos e contextos em que se desenvolvem. Devem, ainda, garantir uma ampla formação científica e metodológica, por meio da flexibilidade curricular na área do conhecimento e interação com as áreas afins.
Por essa razão, o estudo das teologias, da área de Ciências Humanas conforme classificação CAPES/CNPq, não pode prescindir de conhecimentos das ciências humanas e sociais, da filosofia, da história, da antropologia, da sociologia, da psicologia e da biologia entre outras. Essas ciências permitem estudar o universo teológico respeitando o princípio da “exclusão da transcendência”, condição da abordagem científica, ou seja, não se trata de afirmar ou negar a veracidade das afirmações teológicas, mas, sim, estudar o modo como elas surgem, como se manifestam e como atuam nas diferentes dimensões da vida, das experiências e do conhecimento humano. O estudo da teologia deve, ainda, buscar diálogo com outras áreas científicas, possibilitando estudos interdisciplinares.
Salienta-se, outrossim, a importância do respeito à laicidade do Estado, a fim de evitar que os cursos tenham um caráter confessional, proselitista, fechados em uma única visão de mundo e de homem. Espera-se que os cursos de graduação em Teologia, bacharelado, formem teólogos críticos e reflexivos, capazes de compreender a dinâmica do fato religioso que perpassa a vida humana em suas várias dimensões.
Propõe-se que os currículos dos cursos de graduação em Teologia, bacharelado, desenvolvam-se a partir dos seguintes eixos:


1.eixo filosófico – que contemple disciplinas que permitam avaliar as linhas de pensamento subjacentes às teologias, conhecer as suas bases epistemológicas e desenvolver o respeito à ética;
2.eixo metodológico – que garanta a apropriação de métodos e estratégias de produção do conhecimento científico na área das ciências humanas;
3.eixo histórico – que garanta a compreensão dos contextos culturais e históricos;
4.eixo sócio-político – que contemple análises sociológicas, econômicas e políticas e seus efeitos nas relações institucionais e internacionais;
5.eixo linguístico – que possibilite a leitura e a interpretação dos textos que compõem o saber específico de cada teologia e o domínio de procedimentos da hermenêutica;
6.eixo interdisciplinar – que estabeleça diálogo com áreas de interface, como a psicologia, a antropologia, o direito, a biologia e outras áreas científicas.


Vale dizer que, no Brasil, existe cerca de uma centena de cursos de Teologia, já autorizados ou reconhecidos, presentes em vários Estados. Eles são oferecidos por instituições públicas e particulares, pertencentes a mantenedoras confessionais ou não e contemplam teologias subjacentes a diferentes confissões: adventista, batista, católica, espírita, evangélica, luterana, messiânica, metodista, umbandista, entre outras. Trata-se de cursos de graduação com duração entre 1.500 e 4.500 horas. Considerando que se trata de cursos de graduação, orienta-se que respeitem um mínimo de 2.400 horas.

II – VOTO DA COMISSÃO

Votamos no sentido de fixar a sistemática referida nos termos deste Parecer, com vistas à instrução dos processos referentes ao credenciamento de novas Instituições de Educação Superior e de credenciamento institucional que apresentem cursos de Teologia, bacharelado.
Dê-se ciência das presentes recomendações à Secretaria de Educação Superior e à Secretaria de Educação a Distância do Ministério da Educação, e ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, para fins de avaliações, autorizações, reconhecimentos e renovações de reconhecimento dos cursos de Teologia, bacharelado.

Brasília (DF), 6 de maio de 2009.

Conselheira Marília Ancona-Lopez – Relatora

Conselheiro Aldo Vannucchi – Presidente

Conselheiro Antônio de Araújo Freitas Júnior – Membro

Conselheiro Edson de Oliveira Nunes – Membro

III – DECISÃO DA CÂMARA

A Câmara de Educação Superior aprova por unanimidade o voto da Comissão.
Sala das Sessões, em 6 de maio de 2009.

Conselheiro Paulo Monteiro Vieira Braga Barone – Presidente

Conselheiro Mario Portugal Pederneiras – Vice-Presidente

quinta-feira, 14 de maio de 2009

"RETETÉ" - AINDA NÃO ME CONVENCI QUE ISTO PROCEDE DO CÉU



Vou evitar fazer comentários. Tire sua própria conclusão.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

PASTOR BATENDO NO DEMÔNIO



Parece brincadeira, mas não é. Este vídeo retrata a triste condição que vivem algumas igrejas.

domingo, 10 de maio de 2009

A BÍBLIA ESTÁ CHEIA DE ERROS



"A Bíblia está CHEIA de erros!"
- O primeiro erro foi quando Eva duvidou da Palavra de Deus;
- O segundo erro aconteceu quando seu esposo fez o mesmo;
- E assim erros e mais erros ainda estão sendo cometidos porque as pessoas insistem em duvidar da Palavra de Deus.

"A Bíblia está CHEIA de contradições!"
- Ela contradiz o orgulho e o preconceito;
- Ela contradiz a lascívia e a desobediência;
- Ela contradiz o seu pecado e o meu.

"A Bíblia está CHEIA de falhas!"
- Porque Ela é o relato de pessoas que falharam muitas vezes;
- Assim foi com a falha de Adão;
- Com a falha de Caim;
- E a de Moisés;
- Bem como a falha de Davi e a de muitos outros que também falharam;
- Mas Ela é também o relato do amor infalível de Deus.

"Deus NÃO ESCREVEU a Bíblia!"
- Para pessoas que querem jogar com as palavras;
- Para aqueles que gostam de examinar o que é bom mas sem fazê-lo;
- Para o homem que não acredita porque não quer.

"O homem moderno DESCARTOU os ensinamentos da Bíblia!"
- Pelas mesmas razões que outros homens tem descartado através da história;
- Por grande ignorância a sua verdadeira mensagem e conteúdo;
- Pela intransigente apatia em recusar considerar suas declarações;
- Por bem conhecidos pseudocientistas posando de críticos honestos;

"Somente uma pessoa PRECONCEITUOSA acreditaria que..."
- Os ensinamentos bíblicos são irracionais, sendo princípios arcaicos e sem propósito;
- A Bíblia está cheia de discrepâncias e afirmações inaceitáveis;
- Ela só poderia ser trabalho irrelevante e não inspirado de meros homens.

"A Bíblia é, afinal, somente mais um LIVRO RELIGIOSO!"
- Para milhares que não se arriscam serem honestos consigo mesmos e com Deus;
- Para os que têm medo de aceitar o desafio do próprio Deus a um exame honesto;
- Para os que não querem examiná-la a fundo, porque Ela mostra verdadeiramente como os homens são.

"E você não pode ENTENDER ou CONFIAR no que a Bíblia diz!"
- A menos que você esteja disposto a considerar as evidências e encarar face a face o AUTOR!

Autor Desconhecido

quinta-feira, 7 de maio de 2009

MARCHA PELA LEGALIZAÇÃO DA MACONHA EM CURITIBA ESTÁ PREVISTA PARA O DIA 09/05/09 - SÁBADO



Matéria publicada no Jornal Gazeta do Povo de 07/05/09 por Aldrin Cordeiro

O Ministério Público (MP) entrou com uma ação na Justiça, na quarta-feira (6), para tentar impedir a realização Marcha da Maconha em Curitiba, prevista para acontecer no sábado (9). O MP entende que o ato faz apologia ao uso da droga, que é proibida em todo o território nacional.

Os organizadores da Marcha da Maconha dizem que o movimento tem como objetivo pedir uma mudança nas leis de políticas públicas da droga no Brasil, assim como em outros usos, como o industrial e medicinal. A organização da Marcha da Maconha Brasil afirma que não incentiva o uso da erva de forma alguma entre seus participantes.

Para o procurador de Justiça e coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Leonir Batisti, o MP, enquanto instituição encarregada de fiscalização social, entende que a marcha defende o uso da droga. “Não somos contra o debate, este é um assunto para ser debatido com opiniões diversas, porém não é uma marcha que fará isso”, afirmou Batisti.

“Não é apologia, é um pedido de alteração da lei”, diz Marco Magri, cientista social que faz parte do movimento. Magri explica que o ato busca fazer com que a sociedade pense na mudança das leis das drogas no Brasil, “assim como ocorreu com a Constituição, durante as Diretas Já”.

Batisti diz que este tipo de marcha tem o pretexto de liberdade de expressão, porém, não é uma maneira correta de se fazer uma discussão de ideias. “Se eles quisessem um debate, que fizessem dentro de universidades com pessoas que entendem do assunto”.

Caso a Justiça proíba a realização da Marcha da Maconha em Curitiba, a organização do evento provavelmente entrará com um pedido de habeas corpus ou um mandado de segurança. “Nós já esperávamos que o MP tentasse impedir a marcha em Curitiba”, disse Magri. “Vamos aguardar o resultado para tomar alguma atitude”.

O movimento Marcha da Maconha no Brasil estava previsto para ocorrer em 14 cidades do País, porém nos estados da Bahia, Ceará, Goiás e Paraíba, o evento foi proibido por fazer apologia ao uso da droga. Neste sábado, além de Curitiba, a marcha está prevista para acontecer nas cidades de Americana (SP), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Juiz de Fora (MG), Porto Alegre (RS) e Rio de Janeiro (RJ).

terça-feira, 5 de maio de 2009

O PRIMEIRO CULTO PROTESTANTE NO BRASIL




A foto acima é do Monumento Escultório alusivo aos 450 anos do Primeiro Culto Protestante na Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro, obra do artista plástico e escultor Joás Pereira Passos

O texto abaixo é de autoria de Alderi Souza de Matos, publicado no portal www.mackenzie.br, e autorizado pelo mesmo para postagem neste blog.

1. A França Antártica

Após o descobrimento do Brasil, Portugal demorou a interessar-se pela ocupação e a colonização dos novos domínios. Com isso, a colônia atraiu a atenção de outras nações européias, especialmente a França. Após a experiência mal-sucedida das capitanias hereditárias e as constantes incursões estrangeiras, Portugal resolveu tomar providências concretas. Em 1549 enviou o primeiro governador-geral do Brasil, Tomé de Souza, que se instalou em Salvador. Todavia, o controle da imensa costa era ainda muito limitado. Foi nesse contexto que o militar e aventureiro Nicolas Durand de Villegaignon teve a idéia de fundar uma colônia numa região bem conhecida dos franceses: a baía de Guanabara.

Villegaignon aproximou-se do vice-almirante Gaspard de Coligny, um dos principais conselheiros do reino, que nutria fortes simpatias pela Reforma. Com isso, conseguiu o apoio do rei Henrique II (1547-1559), que lhe forneceu dois navios aparelhados e recursos para a viagem. A expedição chegou à Guanabara no dia 10 de novembro de 1555, sendo bem recebida pelos índios tupinambás, acostumados à presença de franceses na região. O grupo instalou-se na pequena ilha de Serigipe, mais tarde denominada Villegaignon, onde foi construído o Forte Coligny.

2. A vinda dos reformados

Diante de várias dificuldades surgidas, Villegaignon escreveu à Igreja Reformada de Genebra solicitando o envio de pastores e colonos evangélicos que contribuíssem para a elevação do nível moral e espiritual da colônia. Coligny convidou para liderar o grupo um ex-vizinho seu, Filipe de Corguilleray, conhecido como senhor Du Pont. Por sua vez, João Calvino e seus colegas alegremente escolheram para acompanhar os colonos os pastores Pierre Richier (50 anos) e Guillaume Chartier (30 anos). Os seus objetivos específicos eram implantar a fé reformada entre os franceses e evangelizar os indígenas.

Os huguenotes que os acompanharam foram Pierre Bourdon, Matthieu Verneil, Jean du Bourdel, André Lafon, Nicolas Denis, Jean Gardien, Martin David, Nicolas Raviquet, Nicolas Carmeau, Jacques Rousseau e o sapateiro Jean de Léry, o cronista da viagem, que escreveria a obra Viagem à Terra do Brasil (publicada em 1578). Eram ao todo 14 pessoas. O grupo deixou Genebra em 16 de setembro de 1556. Após visitarem o almirante Coligny, seguiram para Paris, onde outros se uniram à comitiva. Alguns pensam que entre eles estava Jacques Le Balleur. No dia 19 de novembro embarcaram para o Brasil no porto de Honfleur, na Normandia.

A frota de três navios, comandada por Bois Le Conte, sobrinho de Villegaignon, levava cerca de 290 pessoas, inclusive algumas mulheres. Como de costume, a viagem foi muito penosa. A certa altura, diante da situação em que se achavam, os reformados recitaram o Salmo 107 (ver os vv. 23-30). No dia 7 de março de 1557, os viajantes finalmente entraram no “braço de mar” chamado Guanabara pelos selvagens e Rio de Janeiro pelos portugueses.

3. O primeiro culto

O desembarque no forte Coligny deu-se no dia 10 de março, uma quarta-feira. O vice-almirante recebeu o grupo afetuosamente e demonstrou alegria porque vinham estabelecer uma igreja reformada. Logo em seguida, reunidos todos em uma pequena sala no centro da ilha, foi realizado um culto de ação de graças, o primeiro culto protestante ocorrido nas Américas, o Novo Mundo.

O ministro Richier orou invocando a Deus. Em seguida foi cantado em uníssono, segundo o costume de Genebra, o Salmo 5: “Dá ouvidos, Senhor, às minhas palavras”. Esse hino constava do Saltério Huguenote, com metrificação de Clement Marot e melodia de Louis Bourgeois, e até hoje se mantém nos hinários franceses. Bourgeois foi diretor de música da Igreja de Genebra de 1545 a 1557 e um dos grandes mestres da música francesa no século 16. A versão mais conhecida em português (“À minha voz, ó Deus, atende”) tem música de Claude Goudimel (†1572) e metrificação do Rev. Manoel da Silveira Porto Filho.

Em seguida, o pastor Richier pregou um sermão com base no Salmo 27:4: “Uma coisa peço ao Senhor e a buscarei: que eu possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do Senhor e meditar no seu templo”. Após o culto, os huguenotes tiveram sua primeira refeição brasileira: farinha de mandioca, peixe moqueado e raízes assadas no borralho. Dormiram em redes, à maneira indígena. A Santa Ceia segundo o rito reformado foi celebrada pela primeira vez no domingo 21 de março de 1557.

4. Eventos posteriores

Infelizmente, o vice-almirante acabou entrando em conflito com os huguenotes sobre questões doutrinárias e os expulsou da colônia. Em 4 de janeiro de 1558, eles partiram para a França a bordo de um velho navio. O comandante avisou que a viagem iria ser difícil e não haveria alimento para todos. Diante disso, cinco huguenotes se ofereceram para voltar à terra. Inicialmente Villegaignon os recebeu de modo cordial, mas logo os acusou de serem traidores e espiões. Formulou um questionário sobre pontos doutrinários e lhes deu doze horas para responderem por escrito. O resultado foi a bela Confissão de Fé da Guanabara ou Confissão Fluminense.

O almirante declarou heréticos vários artigos e decidiu pela morte dos reformados. No dia 9 de fevereiro de 1558, Jean du Bourdel, Matthieu Verneil e Pierre Bourdon foram estrangulados e lançados ao mar. André Lafon foi poupado devido às suas vacilações religiosas e ao fato de ser o único alfaiate da colônia. Jacques Le Balleur fugiu e foi para São Vicente. Levado preso para a Bahia, ficou encarcerado por oito anos, sendo então conduzido ao Rio de Janeiro, onde foi enforcado. Ele e seus companheiros ficaram conhecidos como os mártires calvinistas do Brasil.

Essa efêmera presença calvinista no início da história do Brasil não produziu efeitos permanentes. Não foi possível aos reformados alcançar seus dois intentos principais: criar uma igreja reformada e evangelizar os nativos. Todavia, esse episódio é considerado um marco significativo na história das missões cristãs, pois foi a primeira vez que os protestantes buscaram anunciar a sua fé a um povo pagão. O fruto mais duradouro do singelo empreendimento foi a bela confissão de fé selada com sangue.