terça-feira, 28 de setembro de 2010

QUEM É UNGIDO DO SENHOR



Muitas pessoas tem me perguntado sobre este tema e resolvi rever e repassar a voces...Quando o assunto é pastor há uma unanimidade quase insana da parte da massa evangélica ignara, de que o pastor é "o ungido do Senhor" e que sob nenhuma circunstância deve-se questionar a sua autoridade .Mas o que é unção? No Velho Testamento a unção era um ato específico dado por Deus a uma pessoa escolhida para a execução de uma determinada missão, e podia ser retirada a qualquer momento, assim como foi com Saul, quando o Espírito de Deus afastou-se dele, e sobre ele veio um espírito maligno. 1 Sm. 16:14 "Tendo-se retirado de Saul o Espírito do SENHOR, da parte deste um espírito maligno o atormentava." Em Is. 45:1 está escrito: "Assim diz o SENHOR ao seu Ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater as nações ante a sua face, e para descingir os lombos dos reis, e para abrir diante dele as portas, que não se fecharão".

A unção era dada a quem era e a quem não era servo de Deus, conforme vimos no texto de Isaias. Deus ungia quem bem queria para que sua vontade fosse realizada e a história da salvação seguisse seu curso normal. Ciro era um rei pagão e nunca adorou ao Senhor. Entretanto foi ungido por Deus para libertar o povo de Israel para voltarem para sua terra.

Ungir, segundo o Dicionário da Bíblia de Almeida, é: "Pôr azeite na cabeça de uma pessoa. Profetas foram ungidos{1Rs 19.16},"Também a Jeú, filho de Ninsi, ungirás rei de Israel; e também a Eliseu, filho de Safate de Abel-Meolá, ungirás profeta em teu lugar." Sacerdotes também o foram {Êx 30.30}"Também ungirás a Arão e seus filhos, e os santificarás para me administrarem o sacerdócio." E reis também tiveram o óleo derramado sobre suas cabeças para serem ungidos {1Sm 16.1-13}"ENTÃO disse o SENHOR a Samuel: Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche um chifre de azeite, e vem, enviar-te-ei a Jessé o belemita; porque dentre os seus filhos me tenho provido de um rei.(1)... (13)Então Samuel tomou o chifre do azeite, e ungiu-o no meio de seus irmãos; e desde aquele dia em diante o Espírito do SENHOR se apoderou de Davi; então Samuel se levantou, e voltou a Ramá."

Eram ungidos portanto quem Deus bem queria e entendia. Tanto "o Cristo" (grego) como "o Messias" (hebraico) querem dizer "o Ungido", um dos títulos de Jesus, a quem Deus escolheu para ser o Salvador da humanidade {Jo 1.41;}" Este achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Achamos o Messias (que, traduzido, é o Cristo). {At 4.26-27}."Levantaram-se os reis da terra, E os príncipes se ajuntaram à uma, Contra o Senhor e contra o seu Ungido. Porque verdadeiramente contra o teu santo Filho Jesus, que tu ungiste, se ajuntaram, não só Herodes, mas Pôncio Pilatos, com os gentios e os povos de Israel;" O Ungido do Senhor não é outro, senão Jesus Cristo o filho de Deus. O Dicionário da Bíblia de Jonh Davis reafirma que as palavras Messias e Cristo significam "o ungido".No texto de Lucas 4:18 assim está escrito:

"O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos." O texto não se aplica ao pastor e sim exclusivamente a Jesus Cristo conforme citação do Novo Dicionário de teologia do Novo Testamento, vol. IV, pg. 677 onde se lê: "Em passagens como Is 61:1" O ESPÍRITO do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; " e Ez 16:9, "Então te lavei com água, e te enxuguei do teu sangue, e te ungi com óleo," a unção deve ser entendida metaforicamente, sendo que, em Israel, a unção ritual era apenas disponível para reis e sacerdotes. Is 61:1 deve ser entendido como autoridade. No Novo Testamento (Lc 4:18) este texto é aplicado a Jesus: Ele foi o ungido por Deus para ser o profeta prometido."

Atos 4:26 "Levantaram-se os reis da terra, e as autoridades ajuntaram-se à uma contra o Senhor e contra o seu Ungido."O emprego do termo ungido é relacionado ao Messias. Então como fica o pastor nesta história? A unção de Deus é universal, ou seja, recai sobre todos. Em I João 2:20 lemos:" E vós possuís unção que vem do Santo e todos tendes conhecimento." No versículo 27 assim escreve o apóstolo:" Quanto a vós outros, a unção que dele recebestes permanece em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é falsa, permanecei nele, como também ela vos ensinou." O texto é mais do que explícito. Todos somos ungidos e todos nós somos sacerdotes do Senhor conforme está escrito na 1 de Pedro 2:5 "também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo." No verso 9: "Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;" Portanto, Pastor, Presbítero e etc, não é unção com a conotação dada pelos reverendíssimos e, sim, dom do Espírito Santo de Deus. É comissionamento, é chamado.

Diante do exposto, não vejo onde está esta unção especial defendida e requerida pela maioria dos pastores, principalmente os da linha pentecostal e neopentecostal. Na carta escrita aos Efésios 4:11 o apóstolo Paulo diz que "ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, Até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro."

Notaram no início do versículo o "ele mesmo concedeu"? Em Mateus 22:29, Jesus diz: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus." e ainda em Marcos 12:24 "Respondeu-lhes Jesus: Não provém o vosso erro de não conhecerdes as Escrituras, nem o poder de Deus?"

Defender portanto esta doutrina esdrúxula de que o pastor é o ungido do Senhor, e que é um ser inatacável, e intocável é induzir o irmão ao erro. Não defendo aqui a desobediência ou rebeldia contra o pastor. Não é esse o objetivo deste artigo, mas sim o de demonstrar que nós os cristãos devemos seguir o exemplo dos crentes de Beréia que conferiam se tudo que lhes estava sendo ensinado, fechava com os ensinos bíblicos.

A palavra de Deus nos ensina que qualquer um que comete erro é digno de repreensão. Paulo em sua carta aos Gálatas no capítulo 2:11-14 repreendeu a Pedro publicamente por estar se portando de maneira errada."E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível. Porque, antes que alguns tivessem chegado da parte de Tiago, comia com os gentios; mas, depois que chegaram, se foi retirando, e se apartou deles, temendo os que eram da circuncisão. E os outros judeus também dissimulavam com ele, de maneira que até Barnabé se deixou levar pela sua dissimulação. Mas, quando vi que não andavam bem e direitamente conforme a verdade do evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus?" O ensino bíblico coloca a todos em pé de igualdade. Ninguém é superior a ninguém. Jesus ensinou que aquele que quisesse ser o maior, fosse o menor.Não permitamos que teologias canhestras venham minar o nosso relacionamento com Deus, a igreja e nossos irmãos.

Todo pastor que anda consoante os ensinos neotestamentário é digno de honra bem como qualquer membro comum da igreja. Todos são dignos de honra. O membro não pode nem deve se colocar contra o pastor por discordar de algum pensamento seu, pois o pensar é livre e direito de todos. De igual modo o pastor não pode e nem deve perseguir o membro de sua congregação, chegando às vezes a expulsa-lo por discordar de um pensamento seu. Somos livres para tomar nossas decisões e libertos por Jesus para sermos realmente livres com o conhecimento da verdade."E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará."(Jo 8:32)

Há que se ter bom senso, tolerância e acima de tudo amor uns com os outros.Em sua primeira carta aos Coríntios o apóstolo Paulo afirma:"AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine." O amor é a solução para toda sorte de problemas que enfrentamos nas nossas igrejas. O apóstolo Paulo em sua I carta aos Coríntios 13:13 diz:" Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor." Recomendo a leitura de todo o capítulo 13 desta carta com o firme desejo de que essa leitura surta efeito na vida de , todos nós.
Certamente que este assunto não se esgota nestas poucas linhas, mas com certeza servirá para trazer um pouco de luz sobre o assunto. Assim espero!

E Deus me ajude que eu não seja excomungado pelo que escrevi!

Texto de Fábio Dalamaria

terça-feira, 21 de setembro de 2010

EM NOVO LIVRO, STEPHEN HAWKING AFIRMA QUE DEUS NÃO CRIOU O UNIVERSO



Deus não criou o universo e o "Big Bang" foi uma consequência inevitável das leis da física, argumenta o eminente físico teórico britânico Stephen Hawking em um novo livro.

Em The Grand Design (O Grande Projeto, tradução livre), escrito conjuntamente com o físico norte-americano Leonard Mlodinow, Hawking diz que uma nova série de teorias tornava a ideia de um criador do universo um conceito redundante, segundo o diário britânico The Times, que publicou trechos do livro nesta quinta-feira.

Renomado físico teórico Stephen Hawking fala em cerimônia no Instituto para Física Teórica no Canadá. Em seu novo livro, Hawking argumenta que Deus não criou o universo e o Big Bang foi uma consequência inevitável das leis da física.

"Por existir uma lei como a da gravidade, o universo pode e irá se criar a partir do nada. A criação espontânea é o motivo pelo qual existe algo além do nada, por que o universo existe, e por que nós existimos", escreve Hawking.

"Não é necessário invocar Deus para iniciar uma reação e impulsionar o andamento do universo."

Hawking, de 68 anos, que conquistou reconhecimento mundial com seu livro Uma Breve História do Tempo, de 1988, um registro das origens do universo, é renomado por seu trabalho sobre buracos negros, cosmologia e gravidade quântica.

Desde 1974, o cientista está trabalhando para casar dois pilares da física moderna - a Teoria da Relatividade, de Albert Einstein, relacionada à gravidade e fenômenos em grande escala, e a teoria quântica, referente a partículas subatômicas.

Seus mais recentes comentários sugerem que ele rompeu com suas ideias anteriores sobre religião. Anteriormente, ele escreveu que as leis da física significavam que simplesmente não era necessário acreditar que Deus teria participado do Big Bang.

Ele disse em "Uma Breve História do Tempo": "Se descobrirmos uma teoria completa, seria o triunfo definitivo da razão humana - pois então compreenderemos a mente de Deus."

Em seu último livro, ele disse em 1992 que a descoberta da órbita de outra estrela além do Sol ajudava a desconstruir a visão do pai da física, Isaac Newton, de que o universo não poderia ter surgido do caos, mas foi criado por Deus.

"Isso faz as coincidências de nossas condições planetárias -- um único Sol, uma combinação de sorte de uma distância entre a Terra e o Sol e a massa solar, muito menos impressionante, e evidência muito menos convincente de que a Terra foi criada cuidadosamente apenas para agradar aos seres humanos", diz ele no livro.

Hawking consegue falar apenas por um sintetizador de voz computadorizado, em decorrência de uma neurodistrofia muscular que avançou nos últimos anos e o deixou quase completamente paralisado.

Ele começou a sofrer da doença em seus 20 e poucos anos, mas conseguiu se estabelecer como uma das maiores autoridades no mundo científico. O físico também teve participação especial no filme Jornada nas Estrelas e nos desenhos animados Futurama e Os Simpsons.

No ano passado ele anunciou que estaria deixando o cargo de professor lucasiano de matemática na Universidade de Cambridge que mantém desde 1979. O posto já foi anteriormente assumido por Newton.

Fonte: Jornal Gazeta do Povo – 02/09/2010. Caderno MUNDO.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

ESCOLA BÍBLICA DE JOVENS EM PONTA GROSSA/PR - Perguntas e Respostas

PERGUNTA: A respeito de algumas atitudes "estranhas" na igreja (como o fato de Ana Paula Valadão engatinhar no palco), gostaria de saber como podemos identificar se algo vem de Deus ou não, pois na bíblia encontramos histórias aparentemente "estranhas", como Deus ordenar a Oséias que se casasse com uma prostituta. Os israelitas na época também não duvidaram dessa atitude?

Deus ordenou a Oséias que tomasse "uma mulher de prostituições" (1.2) a fim de ilustrar a infidelidade espiritual de Israel. Embora há os que interpretem o casamento do profeta como alegoria, os eruditos conservadores consideram-no literal. Parece improvável, porém, que Deus instruísse seu piedoso servo a casar-se com uma mulher de má fama para exemplificar sua mensagem a Israel. Parece mais provável que Oséias haja se casado com Gomer quando esta ainda era casta, e que ela haja se tornado meretriz posteriormente. Sendo assim, a ordem para se tomar "uma mulher de prostituições" era uma previsão profética do que estava prestes a acontecer.

Fonte: Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD. Pág. 1271



PERGUNTA: O que é a Unção dos Quatros Seres?

A “unção dos quatro seres” é uma idéia divulgada pela “equipe de louvor” Casa de Davi (um dos integrantes é Mike Shea, famoso por ministrar louvores de costas).

Trata-se de uma falsa unção propagada por “adoradores” que, baseando-se em Apocalipse 4, se dizem impulsionados por essa nova unção para rugir como leões, baterem os braços como águias e imitarem bezerros, nos cultos. Os que são influenciados pelo ser que tem rosto “como de homem” limitam-se a gemer e a chorar.

Esse tipo de manifestação exótica e aberrante também está associada à chamada bênção de Toronto, que já influenciou crentes da América do Norte, da Europa e também do Brasil. Várias pessoas reuniam-se em um local próximo ao aeroporto de Toronto, no Canadá, e muitas delas latiam como cães e caíam supostamente pelo Espírito e eram tomadas por risos prolongados e incontroláveis. Algumas imitavam animais, como leão, cachorro e até lagartixa.

Fonte: http://inforgospel.wordpress.com/2009/02/24/dicionario-das-uncoes

Veja a que ponto esta heresia chegou, lendo o texto extraído do site http://www.casadedavi.com.br/br/content/view/21/

PULSEIRAS PROFÉTICAS



Quando os meus filhos eram pequenos, viveram a “moda” de fazer pulseiras de “miçangas”. Um dia expressaram um desejo de fazer uma pulseira para mim. Eu confesso que minha primeira reação era de rejeição da idéia pois nunca me acostumei a usar jóias ou bijouterias. Comecei a pensar na idéia e resolvi orar para saber se a idéia dos meus filhos podia ser algo que agradasse a Deus. Logo pensei num esquema que, se desse certo, seria algo bom. Eles estavam fazendo pulseiras que muitas vezes tinham as cores dos times de futebol dos amigos: verde e branco, preto e vermelho, azul e branco, etc.Eu já tinha recebido a palavra do Senhor sobre “Rio do Leão” e também o ensino sobre “os quatro seres viventes. Eu pensei: se der certo de colocar 12 miçangas azuis, representando o derramar do Rio do Leão 12 vezes mais do que vemos hoje e quatro coloridas, representando os quatro seres, repetidos quatro vezes na pulseira, vou usar e vou profetizar: flua o Rio do Leão, derrama a unção dos quatro seres sobre nós Senhor.!!!Coube perfeitamente no meu braço! FLUA O RIO DO LEÃO!!! DERRAMA A UNÇÃO DOS QUATRO SERES SOBRE NÓS, SENHOR.Hoje esta pulseira, além de ser bonita nos lembra a orar e profetizar. Não é um amuleto, e nem um “terço evangélico”. As doze bolinhas azuis representam as “águas” do Rio do Leão. A bolinha “dourada” representa o Leão, a marrom, o novilho, a verde, o que tem face de homem, a “florescente”, a águia: os quatro seres viventes. Esta pulseira é apenas um lembrete para interceder: Senhor, flua o Rio do Leão. Derrama a unção dos 4 seres sobre a igreja para que a adoração da terra concorde com a adoração do céu!
Mike Shea


PERGUNTA: É errado a igreja fazer reuniões em um determinado dia da semana para abençoar empresários? Isto é heresia?

Não, não é heresia. O que acho um pouco estranho é a ênfase somente em empresários. Muitas igrejas fazem cultos específicos também com profissionais liberais, estudantes, militares, amigos, etc. Geralmente quando existe somente reuniões para empresários, o objetivo está em volta do $$$$$$$$$.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

A interferência da Ordem dos Músicos do Brasil nas igrejas



31/08/2010 - Ministério Público Federal pede à Justiça que Ordem dos Músicos do Brasil não interfira em atividades musicais religiosas.

Fiscalização da OMB em eventos religiosos vai contra direito à livre expressão artística e ao livre exercício religioso.

O Ministério Público Federal, pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, propôs uma ação civil pública, com pedido de liminar, para a Justiça condenar o Conselho Federal da Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) a não mais praticar qualquer ato, em todo o território nacional, que possa impedir ou atrapalhar a realização de eventos musicais e religiosos nos templos, igrejas e outros ambientes similares, bem como aplicar multas, mediante a exigência de inscrição dos membros dessas instituições religiosas no Conselho.

O MPF apurou a ilegalidade da fiscalização exercida pela OMB em templos e igrejas de outros cultos a partir de uma cópia dos autos do Mandado de Segurança nº 2009.61.00.018013-4, impetrado na Justiça Federal de São Paulo pela Igreja Pentecostal Deus é Amor, contra Conselho Regional da OMB no Estado de São Paulo.

Segundo consta no documento, em junho de 2009, na Sede Mundial da referida Igreja, a banda que participava dos cultos foi surpreendida por uma fiscal da OMB, que impediu, mediante uma série de ameaças, que os músicos e a orquestra amadora executassem o repertório musical. A Igreja dirigiu-se ao Conselho Regional da OMB em São Paulo e não foi autuada pela apresentação impedida pela fiscal.

No entanto, a Igreja foi novamente ameaçada de que, caso insistisse na apresentação musical em suas instalações por músicos não credenciados perante a OMB, seria obrigada a pagar multa. A Igreja ainda foi incumbida de fiscalizar se os cantores e músicos estavam ou não associados na OMB. No caso em questão, o mandado de segurança foi julgado procedente pela Justiça.

O MPF solicitou informações à OMB sobre as fiscalizações nos templos religiosas, que respondeu que as bandas que se apresentam em atos religiosos estariam promovendo shows disfarçados de atividades e ritos religiosos. A alegação confirma a acusação de que o Conselho Profissional procede com fiscalizações e autuações durante apresentações musicais em templos e igrejas, exigindo dos respectivos músicos a inscrição junto ao órgão da classe, assim como o pagamento da respectiva taxa, conforme os artigos 16 e 17 da Lei nº 3.857/1960.

Para o Procurador Regional dos Direitos do Cidadão Jefferson Aparecido Dias, autor da ação, é flagrante o “descumprimento de normas constitucionais que asseguram o direito à liberdade artística e ao livre exercício do culto religioso”. O procurador ressalta ainda de tratar-se de uma “ Violação a dois direitos fundamentais de grande envergadura”.

O MPF também requer que, em caso de descumprimento de suas obrigações, a OMB seja multada em valor sugerido de R$10 mil reais a cada prática regular, a partir do deferimento do pedido de liminar.

AÇÃO EM 2005 - Na peça, o procurador ressalta que, em 2005, a Procuradoria da República em São Paulo moveu Ação Civil Pública contra a OMB e a União, combatendo a exigência de inscrição para a atividade de músico e a cobrança da anuidade por seus membros.

Na ocasião, a Justiça julgou procedente o pedido da ação, quando entendeu que a Lei nº 3.857/60 não exige registro do músico para o exercício de sua profissão quando as apresentações ocorrem em bares, lanchonetes, restaurantes e assemelhados, não mencionando os templos religiosos. O registro é obrigatório apenas nas áreas que se exige habilidade técnica e formação específica para a atividade profissional.

Nos casos abrangidos pela ação atual, a exigência seria abusiva. Segundo Dias, “é evidente que não se pode exigir dos músicos e pessoas que se apresentam em cultos de templos, igrejas e outros ambientes congêneres a habilitação técnica e formação específica para suas atividades”.

Para o MPF, ao impedir que as pessoas cantem hinos, louvores e outros cânticos em seus segmentos religiosos e de crenças, por não estarem inscritos em determinado Conselho Profissional, consuma-se grave atentado à livre manifestação artística e religiosa.

ACP nº 00118373-44.2010.4.03.6100, distribuído à 1ª Vara Federal Civil de SP.

Fonte: http://www.prsp.mpf.gov.br/prdc/sala-de-imprensa/noticias_prdc/31-06-10-mpf-pede-a-justica-que-ordem-dos-musicos-do-brasil-nao-interfira-em-atividades-musicais-religiosas

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

MANIFESTAÇÕES ABSURDAS



Pregação do Pr. David Wilkerson