quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Cidade do México estuda possibilidade de casamento temporário



Os contratos de casamento seriam renováveis a cada dois anos, caso os cônjuges queiram continuar com o relacionamento.

A Assembléia Legislativa da Cidade do México vai discutir uma mudança no Código Civil para implantar contratos de casamento que possam ser renovados a cada dois anos, caso os cônjuges queiram continuar com o relacionamento. A proposta, que deve ser discutida na Comissão de Administração, visa reduzir o número de divórcios, garantir o sustento dos filhos e agilizar o processo administrativo no caso do fim do casamento.

O contrato de dois anos seria opcional e evitaria o excesso de trabalho no setor do Judiciário que cuida de divórcios. O casal que optasse pelo contrato temporário poderia avaliar o funcionamento do casamento durante o período.

"Dois anos é o tempo mínimo que permite conhecer e avaliar como é a vida a dois. Se o casal renova [o contrato], isso vai significar que há um entendimento com seu parceiro, que as regras estão claras e que os dois cônjuges têm certeza jurídica de seus direitos e deveres", disse à BBC a deputada Lizbeth Rosas Montero, que faz campanha pela proposta.

Para a deputada, esta mudança no Código Civil vai favorecer as "relações mais saudáveis e harmoniosas entre casais e também ajudaria a restabelecer o tecido social e a estabilidade das famílias", que seriam poupadas do trauma e dos custos de um divórcio.

Além disso, o contrato temporário de casamento também prevê uma série de acordos que seriam firmados entre o casal antes do casamento. Nestes acordos, os cônjuges poderiam determinar, por exemplo, quanto cada um pagaria para manter os filhos ou o tempo de pagamento de uma possível pensão, em caso de separação.

Oposição

Alguns deputados da Cidade do México já se pronunciaram contra o casamento "renovável", alegando que este contrato vai contra o conceito tradicional de casamento "para toda a vida".

Organizações conservadoras, como a União Nacional de Pais de Família, também já se pronunciaram contra a proposta. "Inicialmente pensei que era uma piada de mau gosto", disse a diretora da organização, Consuelo Mendoza, à BBC. "Este tipo de iniciativa cria uma cultura do descartável em temas importantes para a sociedade. Se os pais têm problemas, primeiro precisam procurar outras soluções”, disse. "Imagine o impacto emocional que teria para um filho. A angústia de pensar, a cada dois anos, se mamãe e papai vão renovar o contrato", acrescentou.

Na Cidade do México cinco em cada dez casamentos terminam em divórcio. Desde que o chamado Divórcio Expresso entrou em vigor em 2008 na capital mexicana – uma medida que permite o fim do casamento em quatro semanas – ocorreram cerca de 60 mil divórcios na capital mexicana.

Fonte: Ignacio de los Reyes, BBC Mundo. Portal iG 29.09.2011

Um comentário:

  1. Boa noite.

    Quero lhe indicar um site,

    http://patristicabrasil.blogspot.com/
    Esse tem conteúdo de teologia, propriamente documento do período da patrística (ou patrologia). São documentos que vão do ano 84 D.c ao ano 800 D.c, registros dos costumes cristãos, registram temas teológicos e culturais, etc.

    E esse que contem uma bíblia do século II, Codex Sinaiticus, é a segunda bíblia mais antiga.
    http://www.codexsinaiticus.org/en/manuscript.aspx?book=12&lid=en&side=r&zoomSlider=0
    Uma informação rápida, esse exemplar foi digitalizado e colocado na internet para estudo, seu manuseio esta destruindo esse exemplar e o trabalho de vários especialistas e claro da internet, deu a nos um material de estudo precioso. Esse exemplar tem 1466 paginas, sendo que apenas 800 estão disposta por enquanto no site.

    Esse outro site.
    http://molcat1.bl.uk/treasures/gutenberg/search.asp

    É o site da biblioteca britânica que fez o mesmo trabalho, digitalizou dois exemplares da bíblia de Gutenberg, ano 1450. Um exemplar tem uma bíblia simples sem muitos desenhos, e a outra rica em destaques de arte (desenhos).

    Bíblia de Mogúncia

    Impressa sobre pergaminho, cada página em duas colunas com 48 linhas, sendo as iniciais dos capítulos feitas à mão com tinta azul e vermelha. Trata-se da primeira obra impressa na qual aparecem data, lugar e nomes dos impressores, Fust e Schoeffer (ex-sócios de Gutenberg), no colofão. É o incunábulo mais antigo da Biblioteca Nacional, que possui dois exemplares.

    BÍBLIA. Latim. Mogúncia. 1462. In civitate Maguntij: per Johannem Fust e Petrum Schoeffer, in vigília assumptionis Mariae [14 ago.] 1462. 2 v. 42 cm.
    http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_obrasraras/or813929.pdf

    Esse pdf é pesado tem que ter no minimo 1 mega, de conexão

    Atenciosamente,
    Jorge Luis.

    Todavia, se eu tardar, saberás como proceder na casa de Deus, que é a Igreja do Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade.(1 tm 3,15)

    ResponderExcluir