quarta-feira, 12 de setembro de 2012

O futebol e a preocupação dos brasileiros (Por Elienai Cordova)


Há poucos dias vi, com tristeza, a noticia “terrível” de que o Brasil ocupa 11ª posição no ranking da FIFA. Revolta geral. Querem a cabeça de um tal de “Mano”, xingam um tal “Neymala” como se fosse suas próprias vidas que estivessem em jogo.


Mas a minha tristeza não foi devido a colocação da outrora numero um e sim por que parei e comecei a pensar: o Brasil é o 38° em qualidade de vida, ninguém briga com a Dilma (na verdade ninguém fica sabendo disso, até por que a mídia só mostra o que o povo quer: fu-te-booorr).

Pasmem: o Brasil ocupa o 88° em educação (isso entre 127 países) e ninguém “toca o horror” com o ministro da educação.

Claro, quanto menos o cérebro é usado, menos ele funciona. Ninguém quer pensar. As pessoas pensam o que a mídia diz.

Logo percebo claramente o papel da mídia brasileira: reter a atenção do povo para algo tão ridículo, como o futebol, enquanto coisas tão importantes vão sendo levadas as brecas por um governo tão despreocupado com as questões essenciais.

“Bóra lá”. A “emburrificação” (palavra nova) do brasileiro vai ao ponto de sequer conhecer o nome dos ministros (da educação, por exemplo) de uma nação e saber todos os detalhes de todos os jogadores de vários times.

Reclamam da desigualdade social, da corrupção, mas colaboram para que poucos jogadores ganhem em torno de 1,5 milhões de reais por mês. Repetindo R$ 1.500.000,00, enquanto a galera ganha R$ 622,00 e gasta com cerveja e foguete por causa do dinheiro que os “caras” estão ganhando (sem contar os que precisam gastar com hospitais e remédios). É simplesmente isso que ocorre, pessoas gastando dinheiro por que outros estão ganhando muito.

Agora, voltando ao ranking da educação. Ficamos atrás de Trinidad e Tobago, Azerbaijão, além do japão que ocupa a 1° posição. Pergunto: qual desses paises ocupa grande destaque no mundo esportivo. O japão, por exemplo, se destaca em esportes onde a concentração esta envolvida, e são praticados dentro das escolas, não em aulas vagas pela falta de professor, mas sim como parte integrante do currículo escolar.

Daí questiono: nos momentos em que se assiste uma partida de futebol o quanto você cresce intelectualmente?! Culturalmente?! Espiritualmente?! Nada. Percebe comigo o porquê que o Brasil não cresce? Percebe que estamos em uma nação que esta com a mentalidade medieval: Pão e Circo e o resto é festa.

Resolvi fazer essa analise social, sem utilizar questões religiosas, para vermos o quanto estamos envolvidos em banalidades. Mas... eu não aguento... aqui vai:

Is 55.2: "Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor naquilo que não satisfaz?"

Fonte: Texto de Elienai Cordova, publicado em http://elienaicordova.blogspot.com.br/2012/09/o-futebol-e-desigualdade-social.html#comment-form. Acesso em 11.09.2012



Nenhum comentário:

Postar um comentário