sexta-feira, 27 de novembro de 2009

PRA ONDE CAMINHA A IGREJA?


Qual o objetivo destas manifestações? Em que nos edificam?





quarta-feira, 18 de novembro de 2009

EVANGELHO ESQUISITO - A SAGA CONTINUA IV



A "unção da metralhadora". Mais um vídeo da demonstração de uma prática um pouco estranha na igreja.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

PREMONIÇÃO - QUAL SUA ORIGEM? DIVINA OU DIABÓLICA?


A novela “Mulheres apaixonadas”, de Manoel Carlos e Ricardo Waddington, fez muito sucesso em nossa sociedade.

Como é de praxe, a novela foi recheada com os ingredientes de sempre: adultério, promiscuidade, homossexualidade... Entretanto, um dos elementos que mais se destacou foram as premonições obtidas pela menina Salete.

Certo anjo, em forma de criança, aparecia à personagem com revelações sobre seu futuro vaticinando a morte de sua mãe, deixando a menina em desespero. Segundo a novela, o anjo, quando aparecia, despertava medo, calafrios e grande pavor. Até mesmo os personagens que não acreditavam em suas manifestações sentiam arrepios quando ouviam a menina Salete contar suas visões.

Certo anjo, em forma de criança, aparecia à personagem com revelações sobre seu futuro vaticinando a morte de sua mãe, deixando a menina em desespero. Segundo a novela, o anjo, quando aparecia, despertava medo, calafrios e grande pavor. Até mesmo os personagens que não acreditavam em suas manifestações sentiam arrepios quando ouviam a menina Salete contar suas visões.

Tais visões e premonições fizeram tanto sucesso que jornais e programas de auditório exploraram intensamente o tema – seria ou não possível ocorrer premonições como as da menina Salete?

Entretanto, o tema foi previamente explorado pelo cinema norte-americano, que já produziu dois filmes cujo enredo se desenvolve em torno de premonições de mortes das quais é impossível safar-se.

Tudo isso suscitou o desejo de alguns leitores em ver algo sobre o assunto publicado em Defesa da Fé. Assim, impulsionados por esta necessidade, e com a finalidade de elucidar nossos leitores, queremos, neste sucinto texto, descrever como o espiritismo e a Bíblia encaram esta questão.

O que é premonição? O diabo pode gerar premonições? Como saber? Vejamos.

Definindo a terminologia da palavra premonição

O dicionário Aurélio define o termo da seguinte forma: “sensação ou advertência antecipada do que vai acontecer; pressentimento. Pensamento ou sonho que parece anunciar-nos o futuro. Circunstância ou fato que deve ser tomado como aviso; presságio”. Neste caso, como podemos ver, a definição do termo premonição engloba as adivinhações e, em certo sentido, até mesmo as profecias.

Munidos desta simples significação, constatamos que tal prática existe desde os primórdios da humanidade, sobretudo entre os povos animistas, cuja crença atribui alma a todas as coisas e fenômenos naturais, supostamente capazes de agir conforme sua finalidade. Nos textos bíblicos do Antigo Testamento, há vários casos em que adivinhos compunham classes respeitadas e atuavam juntos aos reis e faraós (Cf. Êx 8.7).

Premonições segundo o espiritismo

Na concepção espírita/esotérica, a premonição é interpretada como um dom especial dispensado a indivíduos com missões específicas aqui na terra, por isso essas pessoas devem procurar “desenvolver” esse talento.

É válido esclarecer que “se desenvolver”, segundo o espiritismo, significa tornar-se dependente dos espíritos-guias. Diante disto, enquanto houver uma dúvida, uma barreira à ação dos espíritos, a pessoa não pode ser considerada desenvolvida.

Somente quando toda a sua mente se rende, sua vontade é dominada, sua razão é controlada e todo o seu intelecto é dominado pelos espíritos, o indivíduo recebe liberação, podendo ser considerado uma pessoa “desenvolvida”.

Entretanto, os fatos nunca param neste estágio, pois novas obrigações vêm sobre o indivíduo, que é obrigado a observá-las, tais como: fazer caridade, dar “passagens” a outros espíritos, desenvolver outros dons e, finalmente, tornar-se um médium.

Ou seja, o que havia sido iniciado como um “desenvolvimento espiritual”, para compreender melhor o dom da premonição, acaba se tornando em escravidão pessoal!

Satanás pode gerar premonições?

A Bíblia não nega que Satanás tem poder; ao contrário, reconhece sua força. Observem as palavras proferidas pelo Senhor ao apóstolo Paulo: “Levanta-te e põe-te sobre teus pés, porque te apareci por isto, para te pôr por ministro e testemunha tanto das coisas que tens visto como daquelas pelas quais te aparecerei ainda; livrando-te deste povo, e dos gentios, a quem agora te envio, para lhes abrires os olhos, e das trevas os converteres à luz, e do poder de Satanás a Deus; a fim de que recebam a remissão de pecados, e herança entre os que são santificados pela fé em mim” (At 26.16-18, grifo do autor).

Notem que o texto fala sobre o poder de Satanás. O mesmo apóstolo também transmitiu à Igreja algo muito importante sobre as habilidades de Satanás: “E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz.

Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras” (2Co 11.14,15).

Por conseguinte, Satanás pode facilmente gerar premonições malignas, porém, estas só ocorrem com indivíduos que não caminham com Deus, com aqueles que ainda não nasceram de novo.

Essas manifestações sem propósito são fatos que comprovam como o diabo é sutil, mostrando novamente que ele pode se manifestar vestido de “anjo de luz” para ludibriar os incautos.

Deus pode gerar premonições?

Certa feita, o apóstolo Paulo teve uma premonição da parte de Deus, por meio da qual um homem lhe rogava: “Passa a Macedônia, e ajuda-nos” (At 16.9). Paulo, prontamente, obedeceu (v.10), pois concluiu que era o Senhor quem o estava chamando para pregar o evangelho naquela localidade.

Observem o propósito do fato, porque, naquele mesmo capítulo de Atos, nos é informado que Paulo e Silas chegaram a Filipos e, por vários dias, enquanto pregavam pelas praças a Palavra de Deus, foram seguidos por uma jovem que tinha um espírito de adivinhação, bradando incessantemente pelas ruas: “Estes homens, que nos anunciam o caminho da Salvação, são servos do Deus altíssimo”.

A narração bíblica afirma que, por adivinhação, a moça obtinha grande lucro aos seus patrões. Diante desta circunstância, Paulo, então indignado, expulsou dela aquele espírito mau. O espírito era um demônio (At 16.18).

O leitor pode observar que se trata de duas experiências de premonição. No primeiro caso, Paulo teve o conhecimento antecipado de que deveria seguir para a Macedônia e lá anunciar o evangelho, a premonição era verdadeira e derivava dos desígnios de Deus.

No segundo caso, a moça que gritava pelas ruas possuía um espírito de adivinhação e sua premonição acerca de Paulo e Silas era igualmente verdadeira. O que poderia ser censurado então? O problema era a fonte de sua premonição, pois seu poder em prever o futuro e adivinhar fatos derivava da parte dos demônios.

Assim, realmente podem ocorrer casos como o explorado pela mídia, mas vejamos algumas proposições teológicas e factuais sobre a questão e por que acreditamos que essas premonições não seriam provenientes da parte de Deus:

1.) O anjo que aparecia na novela é um menino, mas na Bíblia não há registro de aparições de anjos infantis. Sempre que houve aparições de anjos na Bíblia eles vieram em suas formas celestiais (Cf. Is 6; Ez 1) ou em forma de homens (Cf. Gn 18; Lc 24.4).

2.) O menino anjo causava extremo pavor e desespero em seus aparecimentos, trazendo escravidão e deixando as pessoas sem paz de espírito, mas, em oposição a isto, a Bíblia declara que onde há o Espírito do Senhor há liberdade e paz (Cf. 2Co 3.17; Rm 8.15).

3.) A linguagem do menino anjo não era bíblica, pois os anjos bíblicos não dizem o que querem, somente reproduzem a Palavra de Deus. Observem: “Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo; o qual testificou da palavra de Deus, e do testemunho de Jesus Cristo, e de tudo o que tem visto” (Ap.1.1,2; grifo do autor).

4.) Ainda cabem aqui as premonições derivadas do próprio homem que, por sua vez, pode agir de má-fé, arquitetando presságios com a finalidade de aproveitar o misticismo popular para se autopromover.

Como saber se tal revelação provém ou não de Deus?

Moisés deixou o “fundamento” para que o povo de Israel pudesse saber se as premonições preditas vinham da parte de Deus ou não. Se o sinal ou premonição acontecesse, o profeta era verdadeiro e se não acontecesse, um charlatão e falso profeta (Dt 18.2,22).

O maior problema se constrói quando o falso profeta ou visionário fala e seu vaticínio se cumpre. Sempre há uma porcentagem de acertos nessas premonições. Até os magos de Faraó, no Egito, apesar de não conseguirem reproduzir todos os milagres que Deus operou por meio de Moisés, fizeram alguns milagres com muita precisão (Êx 8.7).

Como saber, então?

A Palavra de Deus pode explicar isto, esclarecendo, mediante o próprio Moisés, qual é o propósito de Deus quanto à permissão de um sinal ou prodígio: “Quando o profeta ou sonhador de sonhos se levantar no meio de ti, e te der um sinal ou prodígio, e suceder o tal sinal ou prodígio, de que te houver falado, dizendo: Vamos após outros deuses, que não conheceste, e sirvamo-los; não ouvirás as palavras daquele profeta ou sonhador de sonhos; porquanto o SENHOR vosso Deus vos prova, para saber se amais o SENHOR vosso Deus com todo o vosso coração, e com toda a vossa alma” (Dt 13.1-3; grifo do autor).

O texto supracitado nos mostra a possibilidade de uma previsão acontecer, mesmo sendo elaborada por um falso profeta ou por uma profetisa. Por isso, temos de estar sempre atentos.

Para os que buscam as premonições

Para aqueles que gostam de premonições, e as buscam, gostaríamos de informá-los que Deus já revelou na Bíblia seu plano para o futuro de todos os homens e condena, de forma contundente, todos aqueles que querem descobrir futuros acontecimentos pela boca dos adivinhadores e feiticeiros (Ap 21.8).

Se a nossa vida está nas mãos do Senhor, já somos mais do que vencedores, independente das adversidades que possam se levantar em um futuro próximo (Rm 8.37). O que importa, em suma, é estarmos hoje com Deus. Do nosso futuro o Senhor há de cuidar!

Fonte: Pr. João Flávio & Presb. Paulo Cristiano

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

EVANGELHO ESQUISITO - A SAGA CONTINUA II


Assista este incrível vídeo, onde o Pr. Marcos Pereira empurra uma pessoa supostamente tomada por demônios no meio da multidão.
Não me lembro de Jesus usar "metralhadora vocal" para expulsar demônios.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

CURSO QUE ENSINA MASTURBAÇÃO PARA JOVENS CAUSA POLÊMICA NA ESPANHA


Um novo curso escolar que ensina masturbação a jovens de 14 aos 17 anos está provocando polêmica entre pais e educadores na Espanha. O curso faz parte de um programa introduzido pelas Secretarias de Educação e Juventude da província de Extremadura, e intitulado "O prazer está em suas mãos".

Ele pretende acabar com mitos para que os adolescentes entendam a sexualidade de forma natural.

As aulas sobre sexo serão facultativas nas escolas de segundo grau da província de Extremadura (oeste do país) a partir de novembro. Os conteúdos vão de anatomia e fisiologia sexual masculina e feminina até técnicas de masturbação e uso de objetos eróticos.

Para a secretária de Juventude de Extremadura, Laura Garrido, o novo curso "não deveria escandalizar a ninguém, principalmente porque todos nós fomos adolescentes algum dia e todos nós temos sexualidade".

Consciente das críticas de grupos de pais de alunos e veículos de comunicação conservadores, que classificaram a atividade escolar de imoral e irresponsável, a secretária disse à BBC Brasil que "resumir tudo em uma polêmica sobre como sentir prazer é uma barbaridade".

"O programa tem muitos mais aspectos, como hábitos saudáveis, auto-estima, afetividade, identidade de gênero, doenças de transmissão sexual... e esperamos derrubar muitos mitos negativos sobre a masturbação, é óbvio".

Dúvidas

A Secretaria de Educação de Extremadura elaborou 1.200 livros em formato revista com exemplos de dúvidas habituais de adolescentes sobre o tema e as respectivas respostas de educadores e sexólogos.

O material didático das aulas inclui mapas da anatomia humana, explicações sobre tipos de brinquedos eróticos, endereços úteis e até um baralho que coloca os jogadores em exemplos de situações de risco como uma ereção prolongada ou uma infecção genital, para que saibam como resolver os problemas.

Os slogans do curso escolar - "O prazer está em suas mãos" e "Prazer quando e onde você quiser" - foram aprovados pelo Instituto da Mulher de Extremadura (ONG que reúne associações feministas locais), porque consideram as aulas necessárias para que os jovens entendam que o sexo não é apenas um ato físico.

"Se esse curso conseguir que os nossos filhos se desenvolvam através de uma sexualidade saudável, será mais fácil evitar condutas discriminatórias e agressivas em suas relações", disse à BBC Brasil a diretora geral do Instituto da Mulher, Maria José Pulido.

"É importante que pais e educadores possam tratar a sexualidade como um comportamento, uma expressão afetiva e de saúde também".

Fórum na internet
Mas nem todos os pais de alunos estão de acordo. A Associação de Pais Católicos de Extremadura formou um grupo de protesto chamado "Cidadania para a Educação" e ameaça levar o governo regional aos tribunais.

O grupo abriu um fórum de debate na internet e enviou uma carta ao governador local reclamando do novo curso escolar.

"Exigimos ser informados previamente da natureza, do conteúdo e da orientação de toda atividade que tenha alguma implicação de caráter moral, porque somos os primeiros e principais educadores de nossos filhos", diz a carta.

A presidente da associação, Margarita Cabrer, disse à BBC Brasil que ainda não recebeu resposta do governo e que o grupo de pais estuda vias legais para processar o Estado se o curso continuar até o fim do ano letivo (junho de 2010).

"O problema não é o ensino de masturbação. Não me preocupa que meus filhos se masturbem. O que me preocupa é que um adulto, cujos hábitos e valores morais eu desconheço, seja quem ensine os meus filhos a fazê-lo", afirmou.

Cabrer disse também que espera uma intervenção imediata do Juizado de Menores de Extremadura, porque acha que o curso pode infringir o código penal nos artigos sobre corrupção de menores.

A assessoria de imprensa do Juizado de Menores de Extremadura não quis fazer comentários sobre o assunto à BBC Brasil.

Fonte: www.uol.com.br

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

O QUE É UMA BENÇÃO?


Se você tivesse feito essa pergunta a Esdras ou Neemias, a resposta provavelmente seria curta e precisa: bênção é "a mão de Deus sobre nós." Ambos usam essa expressão cerca de nove vezes, falando da "boa", "bondosa" e "poderosa" mão de Deus. Desse modo, eles atingem o cerne da questão. Também poderíamos dizer: bênção significa "Deus está conosco!"

No Antigo Testamento, em geral, a bênção refere-se a bem-estar terreno, segurança, poder, riqueza, descendência, etc., e essa bênção está expressamente condicionada à obediência aos mandamentos de Deus: "Eis que, hoje, eu ponho diante de vós a bênção e a maldição: a bênção, quando cumprirdes os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, que hoje vos ordeno; a maldição, se não cumprirdes os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, mas vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes" (Dt 11.26-28). Para Israel, o povo terreno de Deus, são prometidas bênçãos terrenas. A respeito, leia Gênesis 49.

A bênção para a Igreja de Jesus, o povo celestial de Deus, tem uma conotação celestial correspondente: "Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo" (Ef 1.3). A bênção de Deus – "Deus conosco" – tornou-se homem em Jesus Cristo! Por isso também podemos descrever a idéia de bênção como sendo "a ação de Deus com uma pessoa para atraí-la mais profundamente para Sua comunhão". Isso significa que a bênção nem sempre é o que desejamos, mas em todo caso se trata do que é bom e salutar para nós! Pois continua válido: "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Rm 8.28).

Por ser um embaixador em nome de Cristo, Paulo podia dizer: "E bem sei que, ao visitar-vos, irei na plenitude da bênção de Cristo" (Rm 15.29). Anunciando todo o desígnio de Deus, ele ministrava toda a bênção de Cristo. Quando crentes abençoam outras pessoas, isso significa que imploram a bênção de Deus sobre suas vidas. Quando crianças são abençoadas na igreja em nome de Jesus, nós as colocamos sob a bênção do Senhor e as entregamos à fidelidade e à direção de Deus. Ao abençoarmos o cálice e o pão na Ceia do Senhor, consagramos essas dádivas naturais da videira e do trigo para uso divino.

No texto original, a expressão significando bênção ou abençoar também tem, entre outros, o significado de falar bem de alguém. Será que temos abençoado nossos irmãos e nossas irmãs dessa maneira? O Senhor o abençoe, prezado leitor! (Elsbeth Vetsch)

Fonte: www.chamada.com.br

terça-feira, 10 de novembro de 2009

BOLÍVIA FESTEJA O DIA DO CRÂNIO COM CULTO A OSSOS DE PARENTES


Milhares de bolivianos celebraram no domingo, 8 de novembro o "dia do crânio", uma tradição que mistura crenças indígenas e católicas.

Anualmente, no dia 8 de novembro, milhares de pessoas enfeitam os restos mortais com flores e fazem oferendas de folhas de coca, charutos e bebidas.

Segundo a crença popular boliviana, os crânios, conhecidos como "ñatitas", afastam os maus espíritos e os ladrões.

Muitas vezes os restos mortais são de um parente.

Irma Paredes, moradora de La Paz, reza para o crânio de sua mãe. "Peço tudo a ela, quando tenho problemas, quando estou sem dinheiro, quando estou com alguns problemas com meus filhos", disse.

"E como é minha mãezinha, rezo ainda com mais fé."

A direção da Igreja Católica boliviana critica o uso de crânios humanos na prática religiosa, alegando que pertencem a almas que devem descansar em paz.

Ainda assim, muitas paróquias abriram suas portas e rezaram missas para os fiéis

Fonte: terra.com.br

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

O SÁBADO DO ADVENTISMO


Argumentam os sabatistas: Você gostaria de ter outro deus diante de Deus? Curvar-se diante de imagens, ou tomar o seu Santo nome em vão? Não desejam vocês honrar seus pais? Ou querem matar alguém? Cometer adultério, furtar, testemunhar falsamente, cobiçar? E aguardam então a sua resposta que, obviamente, é: Não! . Então perguntam: Por que então você não guarda o sábado, se o mesmo faz parte do corpo dos Dez Mandamentos?

Respondendo a esse questionamento, lemos Mateus 12.5, onde encontramos o seguinte relato: Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?

Fazemos, então, aos sabatistas, as mesmas perguntas que fizeram a nós: Os sacerdotes no templo podiam ter outro deus diante de Deus e ficar sem culpa? Curvar-se diante de imagens, ou tomar o seu Santo nome em vão e ficar sem culpa? Podiam desonrar seus pais? Ou matar alguém? Cometer adultério, furtar, testemunhar falsamente, cobiçar e ficar sem culpa?

Todas as respostas a essas questões seriam não, os sacerdotes não podiam cometer nenhum desses delitos dentro do templo. Entretanto, quanto ao sábado à resposta seria um sonoro SIM, ou seja, o texto mostra a legalidade ritualística do sábado e sua dissociação com relação à ética e a moral.

Jesus, como Senhor do sábado, isto é, com autoridade para determinar qual o grau de culpabilidade de quem trabalha no sábado (como na acusação que os judeus faziam dos apóstolos), declarou: Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes (Mt 12.7).

Ademais, não estamos debaixo do Antigo Concerto (Hb 8.6-13). O sábado foi abolido (Os 2.11; Cl 2.14-17) – embora os adventistas digam que a palavra sábados em Cl 2.14-17 se refira aos sábados de cerimônias anuais, denominados festas (Lv 23.37).

Os próprios adventistas declaram que as palavras sábado, (singular), sábados (plural) e a expressão dia de Sábado aparecem no Novo Testamento 60 vezes. Em 59 casos eles admitem que se trata do sábado semanal, mas negam essa interpretação somente em Cl 2.16.

Se, pois, conservarmos o sentido de sábado semanal em Cl 2.16, teremos o apoio de 59 referências bíblicas. Corroborando o nosso ponto de vista, diz Samuele Bacchiocchi, escritor adventista: Um outro significado argumentado contra os sábados cerimoniais ou anuais é o fato de que estes já estão incluídos nas palavras ‘dias de festa’, positivamente que a palavra SABBATON, como é usada em Colossenses 2.16, não pode se referir aos sábados festivos, anuais ou cerimoniais (...). ( From Sabbath to Sunday. Samuele Bacchiocchi. Biblical Perspectives. 1987. P. 358-359).

Vemos, assim, que a doutrina adventista é que determina sua compreensão dessa passagem, sem consideração às evidências lingüísticas e contextuais e contra as regras de hermenêutica bíblica. O sábado, como de resto, todas as instituições do culto no Antigo Testamento, foram sombra ou símbolo preparatório de bênçãos da salvação presente e futura em Jesus Cristo. (Extraído da Bíblia Apologética)

Fonte: CENTRO APOLOGÉTICO CRISTÃO DE PESQUISAS - CACP

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

PESQUISA REVELA QUE 58% DOS JOVENS CRISTÃOS ABANDONAM SUA FÉ AO INGRESSAR NA FACULDADE


Pesquisa realizada por Steve Hernderson, presidente do Instituto Christian Consulting for Colleges and Ministries demonstrou que cerca de 58% dos jovens cristãos nos Estados Unidos se afastaram da Igreja ao ingressar à universidade.

A pesquisa foi também aplicada dentro das universidades brasileiras e o resultado foi o mesmo.

Para muitos jovens o primeiro contato com a universidade é conflituoso. Novos contatos, relacionamentos e muitas vezes conflito de idéias. O repórter e humorista Danilo Gentili, do programa CQC, da Rede Bandeirantes de Televisão, de forma sarcástica, sintetizou neste final de semana em entrevista à Contigo, o que acontece nestes ambientes. “Faculdade serve para ir ao bar e fumar maconha, mas nem isso eu fiz” afirmou Gentili, que segundo declarações anteriores, foi criado na Igreja Batista e tinha o sonho de se tornar pastor. O publicitário desistiu do desejo após ser expulso por mau comportamento.

A pesquisa com o título ‘Uma questão de valor versus custo’, mostrou que 58¨% dos jovens cristãos se afastaram da igreja ao ingressar na faculdade, evidenciou o despreparo que muitos deles têm para enfrentar os conflitos da vida acadêmica. “Não podemos pensar em preparar o jovem cristão apenas para resistir à universidade, porque um dia ela terminará, mas prepará-lo para a vida cristã, familiar, profissional e pessoal. Trata-se de um investido não apenas parte da vida do jovem”, declara Helder Cardin, professor no Seminário Palavra da Vida, em Atibaia (SP). O pesquisador se aprofundou no estudo, lembrou ainda que apesar da distância geográfica o comportamento e questionamento são comuns nos dois países. No caso do Palavra da Vida o curso é ministrado antes do ingresso ao terceiro grau e tem foco no estudo teológico e palavra.

Fonte: Creio / Gospel+

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

SARAMAGO E SUAS ACUSAÇÕES CONTRA A BÍBLIA E O CRISTIANISMO


O polêmico escritor e dramaturgo português, José Saramago, afirmou em Penafiel que “a Bíblia é um manual de maus costumes, um catálogo de crueldade e do pior da natureza humana”. Para José Saramago, “Deus só existe na nossa cabeça”.

“Sobre o livro sagrado, eu costumo dizer: lê a Bíblia e perde a fé!”, disse o escritor, numa entrevista concedida à Agência Lusa, a propósito do lançamento mundial do seu novo livro, intitulado “Caim”, que ocorreu na cidade portuguesa.

“A Bíblia passou mil anos, dezenas de gerações, a ser escrita, mas sempre sob a dominante de um Deus cruel, invejoso e insuportável. É uma loucura!”, afirma o Nobel da Literatura de 1998, para quem não existe nada de divino na Bíblia, nem no Corão.

“O Corão, que foi escrito só em 30 anos, é a mesma coisa. Imaginar que o Corão e a Bíblia são de inspiração divina? Francamente! Como? Que canal de comunicação tinham Maomé ou os redatores da Bíblia com Deus, que lhes dizia ao ouvido o que deviam escrever? É absurdo. Nós somos manipulados e enganados desde que nascemos!” afirmou.

Saramago frisou que “as guerras de religião estão na História, sabemos a tragédia que foram”.

Considerou que as Cruzadas são um crime do Cristianismo, morreram milhares e milhares de pessoas, culpados e inocentes, ao abrigo da palavra de ordem ‘Deus o quer’, assim como acontece hoje com a Jihad (Guerra Santa).

Saramago lamenta que todo esse “horror” tenha feito em nome de “um Deus que não existe, nunca ninguém o viu”.

“O teólogo Hans Kung disse sobre isto uma frase que considero definitiva, que as religiões nunca serviram para aproximar os seres humanos uns dos outros. Só isto basta para acabar com isso de Deus”, afirmou.

Salientou ainda que “no Catolicismo os pecados são castigados com o Inferno eterno. Isto é completamente idiota!”.

“Nós, os humanos somos muito mais misericordiosos. Quando alguém comete um delito vai cinco, dez ou 15 anos para a prisão e depois é reintegrado na sociedade, se quer”, disse.

“Mas há coisas muito mais idiotas, por exemplo: antes, na criação do Universo, Deus não fez nada. Depois, decidiu criar o Universo, não se sabe porquê, nem para quê. Fê-lo em seis dias, apenas seis dias. Descansou ao sétimo. Até hoje! Nunca mais fez nada! Isto tem algum sentido?”, perguntou.

Para José Saramago, “Deus só existe na nossa cabeça, é o único lugar em que nós podemos confrontar-nos com a ideia de Deus. É isso que tenho feito, na parte que me toca”.

Fonte: Lusa / Gospel+