segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

A credibilidade da igreja (Eliel Gaby - Revista Manual do Obreiro - 2012)

Artigo publicado na Revista Manual do Obreiro (CPAD), do primeiro trimestre de 2012.
Clique nas figuras para ampliar o tamanho.






sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Por que sou pentecostal



Primeiro porque Deus fez uma promessa.

"E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito". Jl 2:28;29

Jesus reafirmou essa promessa.

"E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder". Lc 24:49
"E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes. Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias". At 1:4


E eles cumpriram essa promessa.

"E, cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos concordemente no mesmo lugar; E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem". At2:1;4

E eu tenho certeza que essa promessa diz respeito a mim também.

"E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar". At 2:38;39

Agora que entendemos que essa promessa também é para nós vamos entender em que consiste essa promessa:

A promessa consiste em uma efusão do Espírito Santo, uma explosão da manifestação do poder de Deus na vida de seus filhos.

Essa explosão é notória no momento em que ocorre, como foi no caso dos discípulos, no relato em Atos dos apóstolos capitulo 2 vemos que quando os 120 que estavam no cenáculo foram cheios com a plenitude do Espírito, foi notado por toda a circunvizinhança. E o sinal que mais chamou a atenção dos que viram o ocorrido foi o fato de ver os discípulos falarem línguas.

Somente a descrição de atos 2 seria suficiente para eu entender que o batismo no Espírito Santo tem como confirmação falar línguas.

Porem fundamentaremos mais essa doutrina com outras passagens bíblicas.

"Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João. Os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo (Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus). Então lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo". At8:14;17

Primeira observação que faço nessa passagem é que o batismo no Espírito Santo se da a parte do batismo nas águas, pois vejam que os apóstolos foram a Samaria para orar para os novos crentes receberem o Espírito Santo, novos crentes esses que já eram batizados nas águas, fica então muito claro que o batismo no Espírito Santo é uma experiência paralela a experiência salvífica do novo nascimento.

Mas então como saber quando ocorre o batismo no Espírito Santo?

Simples vamos usar o mesmo modo de identificação que o apóstolos usaram.

"E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios. Porque os ouviam falar línguas, e magnificar a Deus. Respondeu, então, Pedro: Pode alguém porventura recusar a água, para que não sejam batizados estes, que também receberam como nós o Espírito Santo? E mandou que fossem batizados em nome do Senhor. Então rogaram-lhe que ficasse com eles por alguns dias". At 10:44;48

Duas coisas ficam bem claras nessa passagem, novamente fica claro que o batismo no Espírito Santo é a parte do batismo nas águas, nesse caso Cornélio e sua família foram batizados no Espírito Santo antes de serem batizados nas águas, outra coisa que a passagem esclarece é que o batismo no Espírito Santo tem como confirmação falar línguas, segundo o relato do versículo 46 os que eram da circuncisão maravilharam-se de que o dom do Espírito fosse dado aos gentios porque os ouviam falar línguas, e Pedro continua, dizendo que deveriam batizar nas águas esses que "como nós" receberam o Espírito, quando Pedro diz "como nós" ele se refere ao ocorrido em Atos 2 onde ele juntamente com os outros falavam línguas após receberem o Espírito Santo.

Essas passagens para mim são mais do que suficientes para a doutrina dos pentecostais, porem vamos para mais uma passagem;

"Disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo. Perguntou-lhes, então: Em que sois batizados então? E eles disseram: No batismo de João. Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo. E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas, e profetizavam. E estes eram, ao todo, uns doze homens". At 19:2;7

Esses doze homens foram batizados nas águas e em seguida Paulo lhes impôs as mãos para que recebessem o Espírito Santo e novamente vemos aqui a confirmação pelo falar línguas.

Fica extremamente claro que o batismo no Espírito Santo tem como confirmação o falar línguas e é uma experiência a parte do batismo nas águas. Porem alguns antipentecostais usam a passagem de ICo 12:30 para dizer que nem todos tem o dom de línguas. Vejamos a passagem;

"Têm todos o dom de curar? falam todos diversas línguas? interpretam todos"? ICo 12:30

A resposta para essa passagem é não, com base nesse versículo alguns dizem que não pode o batismo no Espírito Santo ter línguas como confirmação, porque Paulo diz que nem todos tem esse dom.

Vamos analisar a escritura; existe ai uma diferença, Paulo não pergunta se todos falam "línguas", Paulo pergunta se todos falam "diversas línguas", e quando ele diz "diversas línguas" ele esta se referindo a um dos nove dons do Espírito Santo descritos em Corintios 12. Vejamos:

"Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil. Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas. Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer". ICo12:7;11

O dom a que Paulo se refere na pergunta é o de "variedade de línguas", e realmente nem todos tem esse dom, como nem todos tem o dom de profetizar e nem todos tem os dons de curar, porem no batismo no Espírito Santo é concedido o falar línguas como confirmação e não falar varias línguas, esse ultimo trata-se de um dom que pode ou não ser concedido a quem já é batizado no Espírito Santo e já fala línguas. Pode acontecer de a pessoa ser batizada com o Espírito Santo e no mesmo instante já receber o dom de variedades de línguas, foi o que aconteceu em Atos 2 os discípulos foram batizados no Espírito Santo e receberam o dom de variedade de línguas pois falavam línguas de outros países que nunca haviam aprendido e isso maravilhou que ouviam, da mesma maneira que no caso dos doze homens de Atos 19 que quando receberam o batismo no Espírito Santo receberam instantaneamente o dom de profecia;

"E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas, e profetizavam. E estes eram, ao todo, uns doze homens". At 19:6;7

Lembre – se o batismo no Espírito Santo é para todos, toda carne segunda a promessa em Joel 2, porem os dons que são nove ao todo, são distribuídos para o que for útil, ou seja pela necessidade na obra de Deus;

"Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil. ICo 12:7
Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer". ICo12:11


Fonte: http://apologistadecristo.blogspot.com/2010/05/porque-sou-pentecostal.html

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Carinho materno na primeira infância pode ser a chave para a maior resistência às drogas



O cuidado e atenção da mãe durante a primeira infância podem ter influência direta no futuro da criança. Pesquisadores da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, em parceria com cientistas da Universidade de Adelaide, na Austrália, identificaram que os carinhos feitos pela mãe durante a primeira infância podem modificar a resposta imune do cérebro do filho quando ele crescer, diminuindo seu interesse por drogas.

Em estudo com ratos, eles encontraram um nível elevado da molécula interleucina-10 nos filhotes que tinham muito contato físico com a mãe. A substância é capaz de modificar a resposta do cérebro exposto a elementos viciantes. Os pesquisadores comprovaram que os cérebros dos animais que receberam mais carinho da mãe ao nascer apresentavam mais genes ativos destinados a produzir a interleucina-10.

Em testes, ratos que se separaram da mãe mostram preferência por morfina
Para chegar a essa conclusão, os cientistas utilizaram uma técnica chamada de manipulação de paradigma, retirando os ratinhos da gaiola por 15 minutos e levando-os em seguida para o encontro da mãe. No grupo de controle, os ratinhos não foram separados da mãe em nenhum momento.

Em seguida os ratinhos foram introduzidos em uma câmara com duas aberturas, onde havia uma dose de morfina em um dos lados e uma solução salina inofensiva no outro. Os testes mostraram que os filhotes que nunca se separaram da mãe tinham maior tendência a procurar o lado com a solução salina, enquanto aqueles que foram retirados da gaiola diversas vezes optavam pela morfina com mais frequência.

Mães afetuosas geram crianças mais aptas para as pressões da vida adulta
De acordo com os pesquisadores, o estudo indica que quanto mais afagos e carinhos uma criança recebe, maior será sua capacidade de produzir a interleucina-10, diminuindo a probabilidade de se tornar viciada em drogas no futuro.

Em 2010, estudo da Universidade de Duke identificou que a construção de um vínculo forte com a mãe contribui para diminuir o estresse da criança, além de dar suporte no desenvolvimento de habilidades para lidar com as pressões da vida adulta. Na ocasião, os cientistas verificaram que os filhos de mães afetuosas apresentavam baixos índices de ansiedade, hostilidade e perturbação em geral.

Fonte: http://gnt.globo.com/maes-e-filhos/noticias/Carinho-materno-na-primeira-infancia-pode-ser-a-chave-para-a-maior-resistencia-as-drogas.shtml

Por Renata Demôro

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Criacionismo afasta jovens de igrejas evangélicas nos EUA

Soube com um pouco (ok, dois meses) de atraso de uma pesquisa elaborada pelo Barna Group sobre os motivos que levam jovens evangélicos norte-americanos a abandonarem suas igrejas durante a adolescência. Foram encontradas seis razões principais, e vejam só qual foi a terceira delas:

Uma das razões para jovens adultos se sentirem desconectados da igreja ou da fé é a tensão que eles detectam entre o Cristianismo e a ciência. A percepção mais comum nessa arena é a de que "os cristãos confiam demais no fato de terem todas as respostas" (35%). Três de cada dez jovens adultos com formação cristã sentem que "as igrejas estão desatualizadas em relação ao mundo científico em que vivemos" (29%). Um quarto adere à noção de que "o Cristianismo é contrário à ciência" (25%). E quase a mesma proporção (23%) disse que "o debate criação versus evolução os decepcionou". Assim, a pesquisa mostra que muitos jovens cristãos que gostam de ciência estão lutando para encontrar meios de se manterem ao mesmo tempo fiéis às suas crenças e à sua vocação profissional em campos ligados à ciência.

Obviamente são dados preocupantes; em alguns casos, eles refletem uma generalização (afinal, "o Cristianismo" na verdade é uma série de igrejas e comunidades eclesiais, cada uma dizendo coisas às vezes bem diferentes das outras); em outros, ignorância (o que temos visto ao longo desses três anos de blog é que o Cristianismo mais impulsionou que freou o desenvolvimento científico); e, por fim, mostram a consequência da pregação criacionista e anticientífica de líderes como Ken Ham. Em um artigo no Huffington Post, Karl Giberson diz que as crianças são encorajadas por Ham a perguntar "você estava lá?" sempre que algum cientista faz algum tipo de afirmação sobre o passado do planeta, como se isso fosse suficiente para desqualificar qualquer informação que a Biologia ou a Geologia nos trazem. Eu já vi muita coisa ridícula nesse campo, mas essa é uma das piores. E ainda por cima essa estratégia é um feitiço que se vira contra o feiticeiro, afinal o cientista também poderia perguntar "você estava lá?" para o sujeito que dissesse "o universo foi criado há 6 mil anos".

A julgar pelas palavras de Giberson, esse não é um problema muito fácil de resolver. O autor de Saving Darwin fala de sua experiência pessoal com alunos que aprenderam a conciliar a ciência moderna e sua fé cristã, mas provavelmente jamais voltarão a suas congregações de origem se os líderes religiosos insistirem em negar as evidências científicas. No fim, na pior das hipóteses esses jovens acabarão perdendo a fé; também podem seguir em um cristianismo não denominacional; ou encontrarão outras comunidades onde a relação entre ciência e fé está bem resolvida.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/blog/tubodeensaio/

O dia de adoração e serviço à Deus

Comentário da Lição da Escola Bíblica Dominical, ministrada pelo Pb. Neir Moreira, da Assembleia de Deus em Curitiba.