terça-feira, 28 de abril de 2009

O EVANGELHO DA PERFORMANCE - O uso dos DVD’s como padrão de medida para a escolha de pregadores



Recentemente, como bondade de um amigo, fui indicado para pregar a palavra de Deus em uma determinada cidade do nosso país. Rapidamente o pastor da igreja disse o seguinte: “para pregar na nossa igreja se faz necessário que ele nos envie um DVD para que possamos fazer uma avaliação”.

Enganam-se os que pensam tratar-se de uma atitude prudente, que deseja investigar o que o possível pregador anda dizendo. O ponto central da discussão é o seguinte: VAMOS VER A PERFORMANCE DO PREGADOR!

De imediato, recusei enviar o DVD. O pastor não estava interessado em saber se eu estava em comunhão com minha igreja, se meu pastor me recomendava, se minhas atitudes eram coerentes com o que prego, se havia integridade na minha vida, entre tantas outras características que poderiam e deveriam ser analisadas. Não estou defendendo que não se deva pesquisar alguém antes de convida-lo.

Para essa gente o que interessa é a PERFORMANCE e não a INTEGRIDADE. Sinceramente, não me interessa pregar o “Evangelho da Performance”. Neste evangelho você precisa gritar, pular, jogar o paletó nas pessoas, soprar na testa, arrecadar dinheiro (algumas igrejas dividem, 50% para o pregador e 50% para a igreja), revelar (mesmo que Deus não tenha isto para o momento), agitar, fazer “reteté”, fazer de conta que sua oração curou alguém, mandar os irmãos todo instante falar pro outro: você é vencedor, você vai triunfar, você vai prosperar, você vai dominar e tantas outras bobagens que a gente conhece.

O que me preocupa, reside no fato de muitos líderes estarem concordando com esta prática. É comum ouvir: “eu sei que este pregador tem problemas, mas os irmãos gostam bastante da sua performance”.

De acordo com o Moderno Dicionário da Língua Portuguesa – MICHAELIS, da Editora Melhoramentos Ltda. a palavra “performance” significa uma realização, uma façanha, um feito, uma atuação e um desempenho. A performance está intimamente relacionada com a estética, com a aparência.

“Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a altura da sua estatura, porque o tenho rejeitado, porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o {que está} diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração”. 1Sm 16.7

Lembro-me de um famoso pregador, que no final de sua mensagem, vangloriando-se de sua pregação, olhou para os obreiros que estavam no púlpito comigo e nos disse: “era isso que vocês queriam, valeu a pena ter me convidado?”. Pobre homem, pregador do “Evangelho da Performance”.

Integridade vem do latim “integritate”, que significa a qualidade de alguém ou de algo ser íntegro, de conduta reta, pessoa de honra, ética, educada, imparcial, briosa, pundonorosa , cuja natureza de ação nos dá uma imagem de inocência ou pureza, o que é íntegro, é justo e perfeito, é puro de alma e de espírito.

O Salmo 112 nos dá várias características de uma pessoa íntegra.

Precisamos rever nossos conceitos, nossas medidas. Precisamos de homens e mulheres de Deus nos nossos púlpitos, pessoas íntegras, de conduta reta, honesta, sincera, transparente, que não engana e que seja digna de confiança.

"Na terra de Uz, vivia um homem chamado Jó. Era homem íntegro e justo; temia a Deus e evitava fazer o mal". Jó 1:1

A performance de um DVD não lhe dá medida da integridade! Cuidado com os falsos milagres, com as falsas profecias, com as mensagens de auto-ajuda e pregações motivacionais, com os testemunhos mentirosos (coisas que nunca aconteceram) e com as coisas absurdas. O Evangelho da Performance é vazio e diabólico.

sábado, 25 de abril de 2009

RESULTADO DA ELEIÇÃO DA CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS - ABRIL/2009


39 AGO - 20 a 24 de abril de 2009 - Serra/ES

PRESIDENTE
José Wellington Bezerra da Costa 6719
Samuel Câmara 5963
Total de Votos para Presidente 12682

1o. VICE-PRESIDENTE
Silas Malafaia 5843
Oscar Domingos de Moura 5539
Temóteo Ramos 825
Total de Votos para 1o. Vice-Presidente 12207

2o. VICE-PRESIDENTE
Ubiratn Job 6056
Ival Teodoro da Silva 5643
Total de Votos para 2o. Vice-Presidente 11699

3o. VICE-PRESIDENTE
Sebastião Rodrigues de Souza 6212
Sóstenes Apolos da Silva 5529
Total de Votos para 3o. Vice-Presidente 11741

4o. VICE-PRESIDENTE
Gilberto Marques de Souza 6263
Pedro Lima Santos 5494
Total de Votos para 4o. Vice-Presidente 11757

5o. VICE-PRESIDENTE
Neco 6315
Coutinho 5420
Total de Votos para 5o. Vice-Presidente 11735

1o. SECRETÁRIO
Isaías Coimbra 6442
Moisés Silvestre 5691
Total de Votos para 1o. Secretário 12133

2o. SECRETÁRIO
Arcelino Melo 6391
Nilton Santos 5668
Total de Votos para 2o. Secretário 12059

3o. SECRETÁRIO
Antônio Dionízio 6502
Domingos Júnior 5525
Total de Votos para 3o. Secretário 12027

4o. SECRETÁRIO
Isamar Ramalho 6373
Fernandes 5590
Total de Votos para 4o. Secretário 11963

5o. SECRETÁRIO
Roberto José dos Santos 6313
Valdomiro Pereira 5622
Total de Votos para 5o. Secretário 11935

1o. TESOUREIRO
Santana 6026
Jonas 5434
Total de Votos para 1o. Tesoureiro 11460

2o. TESOUREIRO
Josias de Almeida Silva 6027
Ivan Bastos 5629
Total de Votos para 2o. Tesoureiro 11656

CONSELHO FISCAL NORTE
Joel Holder 6410
Moisés Melo 5379
Total de Votos para o Conselho Fiscal Norte 11789

CONSELHO FISCAL NORDESTE
Israel Alves Ferreira 6341
Antônio José 5467
Total de Votos para o Conselho Fiscal Nordeste 11808

CONSELHO FISCAL SUDESTE
João Carlos Padilha 5914
Álvaro Sanches 5220
Samuel Rodrigues 376
Dimas da CEADER 282
Total de Votos para o Conselho Fiscal Sudeste 11792

CONSELHO FISCAL SUL
Perci Fontoura 6338
Jesus Vilande 5402
Total de Votos para o Conselho Fiscal Sul 11740

CONSELHO FISCAL CENTRO OESTE
Rinaldo Alves dos Santos 6337
Samuel Lima 5559
Total de Votos para o Conselho Fiscal Centro Oeste 11896


TOTAL DE ELEITORES APTOS 17218
TOTAL DE ELEITORES AUSENTES DA URNA 1 4339
TOTAL DE ELEITORES AUSENTES DA URNA 2 4331

domingo, 19 de abril de 2009

NEM SEMPRE DEUS QUER O MELHOR



O texto abaixo, de autoria de Aninha Chaves, publicado em www.irmaos.com, leva-nos em uma reflexão importante sobre o que realmente é importante para Deus. O texto esclarece que aquilo que julgamos ser o melhor, muitas vezes não o é para Deus.

"Tenho ouvido de muitos cristãos que para Deus nós devemos dar o melhor. Mas como posso relacionar os padrões de Deus do que é ruim, bom ou melhor com os meus padrões? E se há uma forma de fazer isso, seria adequado fazê-lo?
Creio que as pessoas usam essa expressão para dizer que devemos fazer todo o esforço possível na realização de uma obra no Reino de Deus. Todas as nossas potencialidades e dedicação devem ser canalizadas para o serviço cristão. Mas o meu melhor nem sempre é o que Deus quer. Às vezes Ele até requer muito menos do que chamo de “melhor”. Essa idéia eu formei lendo I Samuel 15.

Nesse relato bíblico o Rei Saul recebe de Deus uma incumbência: “Agora vão, ataquem os amalequitas e consagrem ao Senhor a destruição de tudo o que lhes pertence. Não os poupem, matem homens, mulheres, crianças, recém-nascidos, bois, ovelhas, camelos e jumentos” (v. 3). Apesar de cruel, imagino que não parecia uma ordem muito difícil de se cumprir aos olhos de um rei. Saul deveria ter pensado: “Está bem! Deus mandou, amanhã vou lá e faço”.

Mas o dia chegou e Saul resolveu mudar ligeiramente os planos. Saul poupou da destruição o rei Agague e tudo o que a terra tinha de melhor (v. 9), mas o que era desprezível ele destruiu. Saul poupou as melhores ovelhas e bois para oferecer em sacrifício a Deus (v. 21). Olha só que honrado da parte dele!!! Ele não ia ficar com uma ovelhinha sequer para ele, entregaria tudo a Deus. Além de se arriscar na guerra, ainda trouxe o melhor que encontrou lá para Deus.

Ops...esquecemos de um pequeno detalhe – Deus não pediu as melhores ovelhas, nem os melhores bois, nem o rei Agague. Ele pediu destruição. Essa era a ordem. Mas Saul não entendeu sua missão (v. 20). A idéia que ele tinha do que ia agradar a Deus na verdade O ofendeu profundamente.
Inútil é tentar impressionar a Deus! Ele não se importa com o que você acha que é o melhor, com o que você acha que vai agradá-lo. Ele já disse na Sua Palavra o que lhe agradaria, obedecê-la é a melhor forma de agradá-lo; porém, se a desobedecermos, pecamos, mesmo que a desobediência traga consigo ofertas a Deus. Afinal, Ele não quer só a oferta, ele quer a obediência, porque a oferta parte das mãos, mas a obediência vem do coração. O melhor para Deus é que você deixe de lado o que você chama de bom e simplesmente se renda à missão que Ele lhe deu.

Se foi mesmo Deus que enviou você para uma missão, vá e faça com a certeza que estará fazendo o melhor! O que Ele chama de melhor!
“Acaso tem o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça a Sua palavra?” (I Sm 15:22a)".

quinta-feira, 16 de abril de 2009

RAPELAY - UMA BRINCADEIRA DEMONÍACA



Jogo à venda nas ruas e na internet simula estupros, pedofilia e aborto
Jogador ainda precisa fotografar vítimas nuas e chorando e obrigá-las a abortar para conseguir vencer

Por Renato Machado
Fonte: Jornal O Estado de São Paulo – 24/03/2009

A história começa quando um jogador encontra a mulher em uma estação de metrô e começa a molestá-la. Os estupros acontecem primeiro no trem e depois em um parque da cidade. Se o autor conseguir fotografar a vítima nua e chorando, ele consegue acesso às duas filhas e também as violenta e obriga todas a abortar. Não, não se trata de mais um caso de violência das ruas. Esse é o enredo e objetivo do jogo japonês de computador Rapelay, que está criando polêmica no mundo todo e é vendido livremente na internet e em algumas ruas de São Paulo.

A reportagem do Estado encontrou o jogo nos catálogos de pelo menos cinco vendedores ambulantes que trabalham na região das Ruas Santa Ifigênia e Timbiras, no centro de São Paulo. Nenhum deles possuía o jogo no local, mas havia na listagem ele e outros de hentai erótico - estilo de jogos japoneses. O preço varia entre R$ 10 e R$ 20 "dependendo de quantos DVDs serão necessários para gravar", segundo explicou um ambulante. Cada DVD custa R$ 10. A entrega seria no dia seguinte.

Na região, é possível encontrar jogos não autorizados pela classificação do Ministério da Justiça (leia mais no texto ao lado), como Garota Virtual (erótico) e Manhunt (violência). O Rapelay também foi encontrado em um site da internet que realiza vendas por telefone. Ele acompanha um DVD com histórias em quadrinhos japonesas e o pacote completo sai por R$ 120. Os jogos podem facilmente ser baixados pela internet, em sites de compartilhamento.

O Rapelay foi produzido em 2006 pela empresa japonesa Ilusion e no fim do ano passado começou a chegar a outros países. Na maioria, ele foi banido, embora continue sendo oferecido em sites de compartilhamento de dados. O jogo chegou a ser vendido pelo site Amazon, mas depois foi retirado por causa da repercussão negativa.

Além de ter como foco a violência sexual, o jogo também choca ao mostrar casos de pedofilia, pois uma das vítimas usa um uniforme de estudante colegial e a outra tem 10 anos de idade, segundo as resenhas publicadas sobre o jogo. O estupro contra a segunda é feito em um quarto com ursos de pelúcia. Após elas engravidarem, o criminoso tem de convencê-las a abortar, ou será jogado por elas nos trilhos do trem.

"Nós já encaminhamos várias denúncias ao Ministério Público contra jogos desse tipo", diz o diretor-presidente da organização não-governamental SaferNet Brasil, Thiago Tavares. "Eles são usados como técnica por pedófilos para aliciar crianças. Em muitos casos de pedofilia, vimos os criminosos enviando os jogos para envolver as vítimas, passando a ideia de que relação sexual entre criança e adulto é algo natural."

IMPUNIDADE

O Ministério Público Federal (MPF) tomou conhecimento da existência do jogo por meio de um alerta da juíza da 16ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo Kenarik Bouijkian Felippe. Como faz parte do Grupo de Estudos de Aborto, ela recebeu um e-mail com o conteúdo do Rapelay e repassou para o MPF.

O caso está sendo investigado pelo Grupo de Repressão a Crimes Cibernéticos do MPF, mas alguns fatores impedem um maior combate ao jogo. De acordo com o procurador da República Sérgio Suiama, uma das dificuldades para abrir uma investigação criminal é que a legislação brasileira não tipifica o abuso sexual simulado de crianças, adolescente e adultos. "É um absurdo um jogo em que o objetivo seja um estupro, mas infelizmente não há preceitos legais para analisarmos o caso. Ele faz parte de uma grande discussão jurídica sobre até onde vai a liberdade de expressão e onde começa o crime", diz.

O procurador acrescenta que o jogo é vendido somente de maneira ilegal - produtos piratas - e não em estabelecimentos formais. "Se há locais estabelecidos no Brasil vendendo, nós vamos agir contra eles. Mas quase tudo é fruto de pirataria ou está difuso na internet para ser baixado. Os serviços de compartilhamento de dados não estão hospedados no Brasil nem são geridos por brasileiros", diz Suiama.

terça-feira, 14 de abril de 2009

MARX E SATANÁS




Um texto muito interessante de Ipojuca Pontes - Cineasta, jornalista

Marx e Satanás
“Quero me vingar daquele que reina lá em cima” – Karl Marx

Livro impressionante, a merecer urgente atenção de um bom editor nacional é, sem sombra de dúvida, este “Marx and Satan”, do reverendo Richard Wurmbrand (Living Book Company, Bartlesville, USA, 1986). A edição que leio, a oitava, data de 2002, porém em 2008 o livro já cruzara a 20ª impressão e fora traduzido para o russo, chinês, alemão, romeno, eslovaco, húngaro e albanês – não por acaso línguas de países que constituíam a antiga Cortina de Ferro e materializavam, na prática, as teorias demoníacas de Karl Marx.

No histórico, o livro de Wurmbrand começou como uma pequena brochura que continha algumas anotações sobre as possíveis ligações entre Marx e a igreja satânica. Posteriormente o autor, durante 14 anos prisioneiro nos campos de concentrações da Romênia comunista, levantou uma quantidade enorme de documentos e correspondências e aprofundou pesquisa biográfica minuciosa em torno do “filódoxo” alemão, mormente no período em este freqüentou a Universidade de Berlim, sem deixar de lado, no entanto, a temporada em que viveu na próspera cidade de Colônia (1842), onde trabalhou como co-editor da “Gazeta Renana” – fase em que Marx, negando Deus, “tornou-se um adorador de Satã e partícipe ativo e regular de práticas e hábitos ocultistas”.
De fato, nesta época, conforme registra Wurmbrand com riqueza de detalhes, Marx mudou inteiramente de conduta.

Longe da casa paterna, ao repudiar Cristo ele tornou-se um beberrão violento. (Habitualmente, quando embriagado, para não pagar os credores, partia para a briga – sendo autuado, certa feita, por porte de arma). Então, na qualidade de co-presidente do “Clube Tabernário”, que tinha como associados um bando de estudantes porristas, Marx organizava rituais de magia negra, professando a idéia de “chutar Deus do Reino Celestial”. Por qualquer razão, ou sem razão nenhuma, voltava-se para o alto e proclamava, em ira incontida: “Eu o destruirei! Eu o destruirei!”.

O próprio pai de Marx, Heinrich (um advogado judeu convertido ao cristianismo luterano), na ocasião, ao saber que o filho tinha “colocado novos deuses em lugar dos antigos santos” (confissão de Marx), tentou chamar sua atenção, por carta, lamentando o estranho comportamento do jovem radical: “O teu progresso, a querida esperança de ver teu nome algum dia ter grande reputação, e tua riqueza terrena não são os únicos desejos de meu coração. Essas são ilusões que tive há muito tempo, mas posso assegurar-te que a realização delas não me teria feito feliz. Apenas se teu coração permanecer puro e bater humanamente e se nenhum demônio for capaz de desviar teu coração de sentimentos melhores, apenas assim serei feliz”.

Ao lamento da carta paterna, Marx deu o calado como resposta, cortando a correspondência com o pai, salvo no caso de bilhetes curtos para pedir crescentes somas em dinheiro para saldar dívidas provenientes dos porres homéricos e gastos com os rituais ocultistas.

Na mesma época, Marx ficou obcecado pela leitura do “Fausto”, a peça teatral de Goethe em que o personagem central faz um pacto com a figura de Mefistófeles, o “diabo em pessoa”. Num impulso, o futuro “Doutor do Terror Vermelho”, para tornar público a sua nova crença, escreve um drama intitulado “Ulanem” - anagrama de Emanuel, nome bíblico de Cristo -, tempos depois encenado e representado pelo próprio autor.

No texto, medíocre, mas considerado de natureza confessional, Marx revela o objetivo que marcará todos os atos de sua atribulada existência, qual seja, “a idéia de expulsar o Criador de sua morada e, ele próprio, Karl Marx, substituí-lo”. No último ato de “Ulanem”, em tom apocalíptico, assim se exprime o imperioso cultor de Satã: “Os vapores do inferno enchem o cérebro, até que fico louco e meu coração muda muito. Vês esta espada? O Príncipe das Trevas ma vendeu. Para mim, ele marca o compasso e ordena os sinais. Cada vez mais atrevido, eu danço a dança da morte. E só então poderei caminhar triunfante, como um Deus, através das ruínas do seu Reino”.
Dado curioso, a mudança de Marx não se deu apenas no plano espiritual.

Segundo anota Karl Heinzen, jornalista que trabalhou com ele na “Gazeta Renana”, a transformação se manifestou, também, no aspecto seu físico. “De jovem esbelto, ele se transformou num tipo atarracado, de lábio inferior incomumente grosso e de tez amarelo-sujo, acentuada pelos cabelos negros e espessos que pareciam brotar-lhe de quase todos os poros da face, dos braços, da orelha e do nariz. Cabeludo, com sua juba negra retinta e olhos enlouquecidos por um espírito de fogo perverso, Marx era a imagem de Lúcifer, o anjo decaído”.

O mesmo Heinzen relata que, certa noite, depois de um porre, querendo parodiar Mefistófeles numa cena do “Fausto”, Marx “Aproximou-se e deu a entender que eu estava sob seu poder. Com malícia de pretendido demônio, começou a me agredir com ameaças e tapas. Adverti-o a sério que o trataria do mesmo modo. Como nada adiantasse, derrubei-o com um sopapo num canto da sala. ‘Há um prisioneiro lá dentro...’ - caçoou ele, numa imitação precária de Mefistófeles”.

Mais tarde, consolidada a personalidade demoníaca, Marx observa, em correspondência para Engels (segundo Franz Mehring, em “Marx – Story of His Life”): “A abolição da religião como uma felicidade ilusória dos homens é um requisito para a verdadeira alegria deles. O chamado para o abandono de suas ilusões acerca de suas condições é um chamado para abandonar uma condição que requer ilusões. A crítica da religião é, portanto, a crítica deste vale de lágrimas de que a religião é o halo”.
Marx se deu mal na sua pretensão de abolir a religião sobre a face da terra. A crença na existência de uma força transcendente, considerada como criadora do Universo, nunca esteve tão presente na vida da humanidade - em que pese a ingerência do “neodarwinismo” e a “singularidade” de teorias impossíveis de comprovar como a do Big Bang.

O Cristianismo, por sua vez, infenso a fricção da excomungada “Teologia da libertação”, nitidamente anticristã, cada vez mais se propaga em número de fiéis, a fortalecer a crença no Cristo filho de Deus.

Quando à Marx, reconheça-se, o seu espírito maligno permanece atuante - como o do próprio Satã, de resto –, a iludir facções de deserdados que, sob seus vapores, alargam as dores do mundo.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

FUMAR FAZ MUITO BEM! BEM PRA INDÚSTRIA DO TABACO




Várias são as substâncias que o cigarro contém, entre elas:

- AMÔNIA: Usada para limpeza de banheiros. Ela é adicionada pelos fabricantes para aumentar a absorção da nicotina.

- ACETONA: Usada como removedor de esmaltes. Causa irritação na pele, na garganta e dor de cabeça.

- METHOPRENE: Inseticida usado como antipulgas. Traz irritação na pele e lesões no aparelho respiratório.

- FORMOL: Usado para conservar defuntos. Provoca câncer no pulmão e problemas gastrointestinais.

- NAFTALINA: Veneno empregado para afastar baratas. O contato prolongado ataca os rins e os olhos.

- XILENO: Cancerígeno presente em tintas spray. Causa tontura, dor de cabeça e perda de consciência.

- Fósforo (P4 ou P6): Utilizado para matar ratos. No cigarro, os fabricantes se recusam a informar a quantidade adicionada ao produto.

- ACETATO DE CHUMBO: É um cancerígeno que se inalado ou ingerido atrapalha no crescimento.

- PÓLVORA: Explosivo que provoca tosse, é adicionada ao cigarro para facilitar a queima.

- CÁDMIO: Presente em pilhas e baterias, é um metal altamente tóxico que causa danos aos rins e ao cérebro.

O CIGARRO É RESPONSÁVEL POR:

- 80 mil mortes por ano no Brasil (10 pessoas por hora)
- 25% das mortes causadas por doença coronariana - angina e infarto do miocárdio
- 45% das mortes causadas por doença coronariana na faixa etária abaixo dos 60 anos
- 45% das mortes por infarto agudo do miocárdio na faixa etária abaixo de 65 anos
- 85% das mortes causadas por bronquite e enfisema
- 90% dos casos de câncer no pulmão (entre os 10% restantes, 1/3 é de fumantes passivos)
- 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer (de boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero)
- 25% das doenças vasculares (entre elas, derrame cerebral)

A inalação da fumaça de derivados do tabaco (cigarro, charuto, cigarrilhas, cachimbo e outros produtores de fumaça) faz mal para as pessoas que não fumam, mas convivem com fumantes em ambientes fechados. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a fumaça dos derivados do tabaco é o maior responsável pela poluição em ambientes fechados. Existem duas formas de se inalar a fumaça do cigarro. Uma é quando o fumante traga, absorvendo 4.720 substâncias tóxicas. A outra forma é pela fumaça que sai livremente da ponta acesa do cigarro, ou de outro derivado do tabaco, para o ar ambiente e põe em risco a saúde daqueles que não fumam. Em média, este ar poluído contém três vezes mais nicotina, três vezes mais monóxido de carbono, e até cinqüenta vezes mais substâncias cancerígenas do que a fumaça que entra pela boca do fumante depois de passar pelo filtro do cigarro.

terça-feira, 7 de abril de 2009

DE OLHOS BEM ABERTOS - Texto de autoria de Neir Moreira - Coordenador do Curso de Teologia Ministerial ENSINAI



O espaço geográfico do sagrado e a sua ocupação e disposição hierárquica da maioria dos templos evangélicos têm permitido uma observação mais fria quanto ao comportamento daqueles que tecnicamente conduzem o momento litúrgico de nossos cultos. Tanto do púlpito em relação à nave da igreja, quanto o inverso tem-se constituído uma via preferencial para tal observação.

Dentre os diversos elementos constitutivos do culto cristão, notadamente o pentecostal, a oração certamente pode ser definida como aquele imprescindível em qualquer tipo ou natureza cultual. Dispensa comentários bíblicos, hermenêuticos e exegetas acerca da importância desta prática religiosa.

Embora o texto sagrado em nenhum momento assegure a necessidade de se fechar os olhos para buscar a face de Deus, cultural e socialmente este comportamento já foi historicamente associado pela comunidade cristã. É óbvio que o cerramento dos olhos facilita a concentração, inibe a distração, além de trazer no seu bojo institucional um tom de cerimonialismo. Talvez nada mais, além disso. Eu me refiro explicitamente ao comportamento tipicamente humano.

Ora, se o momento de clamor coletivo a Deus é fundamental no culto cristão, porque a grande maioria das pessoas (obreiros e membros) não ora?

Para além de uma postura crítica e julgadora, meu posicionamento refere-se a um comprometimento litúrgico por todos aqueles que compartilham o mesmo espaço físico, sagrado e espiritual. A unidade foi deixada no alpendre do templo, se é que ela adentrou ao pátio. Permita-me citar a religião muçulmana: no momento da oração, todos, indistintamente, prostram-se com a fronte ao chão, a um só momento e comungam entre si.

Lamentavelmente, a estrutura litúrgica da maioria dos cultos evangélicos exige uma comunicação intensa entre o dirigente do culto e os prováveis co-participantes. A título de organização, o diálogo corre solto sob e a partir do altar. Irrequieto, intentei realizar um teste pessoal. Tive muita dificuldade, mas o fiz umas três vezes durante a minha trajetória ministerial. Mantive-me com os olhos bem abertos para reparar o que acontecia no mundo visível durante a oração. Incrível, o mercado paralelo simplesmente ignora o momento sagrado da oração. Ele vai desde a entrada dos atrasados, a saída dos “apertados”, o fechamento que não foi possível antes do culto, uma olhadela na gatinha do banco de trás, uma verificada se a roupa continua alinhada, uma olhadela no sermão, a última pigarreada para não desafinar... Até que a oração sustentada pelos bravos resistentes chega ao fim.

É bem verdade que a pós-modernidade alterou a dinâmica da vida, tornando-a mais agitada e inconstante. Porém, o momento mais íntimo entre o adorador e seu Deus deve ser preservado. Boa parte dos cristãos, infelizmente, não se envolve com o ministério da pregação, do louvor e com o próprio culto, assumindo passivamente a sua posição litúrgica. Todavia, a oração constitui-se num oásis neste deserto. Independentemente, cada um pode conduzir sua oração na congregação dos justos.

Eu reconheço que pessoalmente não disponho de tempo para participar de todos os cultos que minha igreja oferece semanalmente. Entretanto, tenho um lema que sigo fielmente: os poucos cultos os quais participo, eu faço questão de evitar todo e qualquer comportamento paralelo que concorra com a minha atenção. Os cerca de 120 minutos de adoração que geralmente dura um culto assembleiano eu os vivo intensamente. Faço da qualidade a minha aliada contra a quantidade.

As conversas, torpedos, paqueras, negócios, distrações e tráfego na nave e no púlpito são os obstáculos que o Espírito Santo encontra nos cultos atuais. Os cambistas atuais em nada são diferentes daqueles que Jesus se deparou no templo. Seu barulho e movimentação ainda continuam roubando a cena no santuário. Jesus não vai lançar mão de novo do azorrague, afinal, ele delegou aos seus ministros a autoridade cabal para impor limite em sua casa.

Lembro-me de minha saudosa mãe que se recusava a entrar na igreja enquanto o povo estava orando, e quando finalmente a oração encerrava, lenta e sonelemente ela adentrava com sua fronte reclinada. Irmã Pereira fez escola. Pelo menos nesta aula eu não faltei.

Cleopas e seu companheiro andaram mais de 10km na companhia de Jesus e ainda assim foi preciso que o Mestre por excelência abrisse os seus olhos. Após a oração, é claro. Mesmo hoje, tem muita gente que precisa passar pela experiência em Emaús.

Talvez esteja na hora de abrirmos os nossos olhos. Os olhos do temor e da reverência a Deus. Afinal quanto mais estes olhos estiverem abertos, menos tempo passaremos distraídos no momento de devoção e entrega ao nosso Deus. O momento da oração.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

CURIOSIDADES BÍBLICAS 1




- A frase: “Não temais” aparece na Bíblia 366 vezes

- A primeira citação da redondeza da terra, confirmava a idéia de Galileu de um planeta esférico (Is 40.22)

- A Arca de Noé media 134m de comprimento, 23m de largura e 14 de altura; sua área total nos três pisos era de 9.250m² e um volume total de 43.150m³ aproximadamente; o que a torna próxima das embarcações atuais (Gn 6.15,16)

- As tábuas da lei feitas por Deus foram quebradas por Moisés e, depois feitas por Moisés e reescritas por Deus (Ex 34.11)

- Moisés fez o povo beber ouro, do bezerro da desobediência (Ex 32.19,20)

- O movimento ecológico começou por um alerta de Deus (Ex 23.28,29)

- O maior reino descrito na Bíblia, tinha 127 províncias e se estendia da Índia até a Etiópia, e era comandado pelo rei Assuero (Es 1.1)

- Noé passou na Arca com sua família e com os animais 382 dias (Gn 7.9-11; 8.13-19)

- Davi além de poeta, músico e cantor foi inventor de diversos instrumentos musicais (Am 6.5)

- Davi foi ungido 3 vezes, obtendo uma gloriosa confirmação divina e humana (1Sm 16.1-13; 2Sm 2.4; 1Cr 11.1-3)

- Salomão não era o único sábio, haviam mais 4 sábios (1Rs 4.29-31)

- Grande parte das pregações de Jesus foram feitas por ele assentado (Mt 5.1,2; Lc 4.20,21; Lc 5.3)

- O tio e a tia de Jesus converteram-se na sua pregação antes da crucificação (Lc 24.13-18; Jo 19.25)

- O “sermão do monte” foi repetido por Jesus no que podia ser chamado “sermão da planície” (Mt 5.1; Lc 6.17)

- Um curioso e desavisado foi forçado a carregar a cruz com Jesus (Mt 27.23; Mc 15.21; Lc 23.26)

sábado, 4 de abril de 2009

CURIOSIDADES BÍBLICAS 2


- A questão salarial e a responsabilidade trabalhista, são uma preocupação divina a tempos (Tg 5.4)

- A mensagem através de “out-door” é uma citação bíblica detalhada (Hc 2.2)

- O primeiro maratonista, correu contra um carro veloz “pilotado” por um rei e ganhou (1Rs 18.45,46)

- O “dia da noiva” mais longo durou um ano, e contou com uma preparação tão especial que até hoje é desconhecida (Es 2.12)

- O nome mais comprido e estranho de toda Bíblia é: Maersalalhasbaz – filho de Isaías (Is 8.3,4)

- Quem cortou o cabelo de Sansão não foi Dalila, mas um homem (Jz 16.19)

- Deus foi comparado a uma águia e uma galinha (Dt 32.11; Mt 23.37)

- A terra só passou a produzir espinhos depois da desobediência de Adão (Gn 3.17,18)

- Uma das coisas que diferenciam a Bíblia de outros livros é a sua unidade. Foi escrita num período de 1500 anos por mais de 40 autores, tendo uma completa harmonia

- A frase: “Não temais” aparece na Bíblia 366 vezes

quarta-feira, 1 de abril de 2009

O QUE VOCÊ OUVE?



A Rede Globo de Televisão colocou como tema principal em uma novela das 8h a música 'Simpatia Com o Diabo' (Sympathy for the Devil) dos Rolling Stones . Colocamos disponível aqui a tradução desta música para que sirva como um alerta para toda a comunidade cristã. Desejamos que você tire suas próprias conclusões sobre este assunto, pois é por uma mensagem como esta, escondida atrás de uma melodia bonita, que os nossos filhos poderão ser atraídos.

Sympathy for the Devil
Simpatia Com o Diabo

Please allow me to introduce myself
I'm a man of wealth and taste
I've been around for a long, long year
Stole many a man's soul and faith

Por gentileza me permita me apresentar
Sou um homem de fortuna e requinte
Estou por aí já faz alguns anos
Roubei as almas e a fé de muitos homens

And I was 'round when Jesus Christ
Had his moment of doubt and pain
Made damn sure that Pilate
Washed his hands and sealed his fate

E eu estava por perto quando Jesus Cristo
Teve seu momento de duvida e dor
Fiz muita questão que Pilatos
Lavasse suas mãos e selasse seu destino

Pleased to meet you
Hope you guess my name
But what's puzzling you
Is the nature of my game

Um prazer em lhe conhecer
Espero que adivinhem o meu nome
Mas o que lhes intriga
É a natureza do meu jogo

I stuck around St. Petersberg
When I saw it was a time for a change
Killed the Czar and his ministers
Anastasia screamed in vain

Eu aguardei em São Petersburgo
Quando percebi que era hora para mudanças
Matei o Czar e seus ministros
Anastácia gritou em vão

I rode a tank
Held a general's rank
When the Blitzkrieg raged
And the bodies stank

Pilotei um tanque
Usei a patente de general
Quando as blitzkrieg urgiam
E os corpos fediam

Pleased to meet you
Hope you guess my name, oh yeah
What's puzzling you
Is the nature of my game, oh yeah

Um prazer em lhe conhecer
Espero que adivinhem o meu nome
Mas o que lhes intrigam
É a natureza do meu jogo

I watched with glee
While your kings and queens
Fought for ten decades
For the Gods they made

Assisti com orgulho
Enquanto seus reis e rainhas
Lutaram por dez décadas
Pelos deuses que eles criaram

I shouted out
'Who killed the Kennedys?' When after all
It was you and me

Gritei bem alto
'Quem matou os Kennedys?'
Quando afinal de contas
Foi apenas você e eu

Let me please introduce myself
I'm a man of wealth and taste
And I laid traps for troubadors
Who get killed before they reached Bombay

Permita-me por gentileza me apresentar
Sou um homem de fortuna e requinte
Deixei armadilhas para ministreis
Que morreram antes de chegarem a Bombaim

Pleased to meet you
Hope you guessed! my name, oh yeah
But what's puzzling you
Is the nature of my game

Um prazer em lhe conhecer
Espero que adivinhem o meu nome, oh yeah
Mas o que lhes intriga
É a natureza do meu jogo

Pleased to meet you
Hope you guessed my name, oh yeah
But what's confusing you
Is just the nature of my game

Um prazer em lhe conhecer
Espero que adivinhem o meu nome
Mas o que lhes confunde
É a natureza do meu jogo

Just as every cop is a criminal
And all the sinners Saints
As heads is tails
Just call me Lucifer
'Cause I'm in need of some restraint

Assim como todo policial é um criminoso
E todos os pecadores Santos
Como cara é coroa
Basta me chamar de Lúcifer
Pois estou precisando de alguma restrição

So if you meet me
Have some courtesy
Have some sympathy, and some taste
Use all your well-learned politesse
Or I'll lay your soul to waste, um yeah

Então se me conhecer
Tenha alguma delicadeza
Tenha a simpatia, e algum requinte
Use toda sua polidez bem aprendida
Ou deitarei sua alma para apodrecer

Pleased to meet you
Hope you guessed my name, um yeah
But what's puzzling you
Is the nature of my game, um! baby, get down

Prazer em lhe conhecer
Espero que adivinhem o meu nome, oh yeah
Mas o que lhes intrigam
É a natureza do meu jogo

Woo, who
Oh yeah, get on down
Oh yeah
Oh yeah!
Tell me baby, what's my name
Tell me honey, baby guess my name
Tell me baby, what's my name
I tell you one time, you're to blame

Diga-me baby, qual é o meu nome
Diga-me doçura, qual é o meu nome
Diga-me baby, qual é o meu nome
Lhe digo uma vez, é sua culpa

Ooo, who, who
Ooo, who, who
Oh, yeah

Diga-me baby, qual é o meu nome
Diga-me doçura, qual é o meu nome
Diga-me baby, qual é o meu nome
Lhe digo uma vez, é sua culpa

Ooo, who, who
Ooo, who, who
Oh, yeah

AULA DE LIDERANÇA - Aprendendo com Jesus - Daniel Godri